8 perguntas de entrevista de emprego que você precisa saber

Uma entrevista de emprego na maioria das vezes é o primeiro contato profissional com a empresa que pode ser seu local de trabalho pelos próximos anos, por isso é importante usar algumas ferramentas para passar uma boa impressão e demonstrar suas qualidades e seu perfil profissional. Além de se vestir adequadamente para cada tipo de ambiente corporativo e se comunicar bem, preparar-se para aquelas perguntas que sempre aparecem é uma forma de se destacar da concorrência.

Portanto, para ajudar a controlar o nervosismo, confira as perguntas mais comuns em entrevistas de emprego e como respondê-las de forma assertiva.

1. Fale um pouco sobre você

Essa abordagem costuma figurar entre as primeiras em uma entrevista. Apesar de parecer uma brecha para tratar da vida pessoal, o ideal é que você fale de forma sucinta e objetiva sobre sua formação e sua identidade no mundo profissional. Caso a entrevista seja conduzida mais informalmente, você pode mencionar hobbies e outras atividades, mas tente sempre voltar o assunto para o mundo do trabalho.

Estar preparado para perguntas que possam surgir ajuda a diminuir o nervosismo na hora de uma entrevista. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)
Estar preparado para as perguntas ajuda a diminuir o nervosismo na hora da entrevista. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

2. Conte sua experiência

Aqui a entrevista profissional começa de forma mais direta. Se você chegou à fase da entrevista, os recrutadores já conhecem seu currículo, então nada de citar detalhadamente todas as experiências anteriores; foque os últimos cargos e as experiências que podem contribuir para ocupar a vaga para a qual você está se candidatando.

A forma mais legal de fazer esse resumo é citar casos que você viveu e como agiu para alcançar determinados resultados. Uma dica para se lembrar disso é pensar no acrônimo STAR (situação, tarefa, ação e resultado), ou seja, contextualizar a situação pela qual passou, citar as tarefas entregues, as ações que realizou para mudá-las ou otimizá-las e os resultados alcançados.

Leia também:

3. Quais são suas principais qualidades?

Essa é uma pergunta difícil de responder. Muitas vezes é difícil destacar os pontos fortes sem parecer arrogante, então a melhor forma de fazer isso é citar uma qualidade e usar o exemplo de uma situação vivida no mundo corporativo.

Vale a pena ressaltar que, atualmente, muitas empresas têm valorizado as soft skills (habilidades comportamentais) mais do que o conhecimento de ferramentas técnicas que possam ser apreendidas. Então vale a pena mencionar a inteligência emocional, a capacidade de saber lidar com as emoções que podem surgir no cotidiano e outros pontos de sua personalidade que possam contribuir com o ambiente de trabalho.

Além disso, nada de decorar um discurso e soar ensaiado; haja da forma mais natural possível e não minta sobre habilidades que você não tem.

4. Quais você considera seus pontos fracos?

Aqui a dica é não usar frases prontas que deem a entender que você não tem defeitos, já que todos os profissionais têm áreas em que podem melhorar — e qualquer recrutador sabe disso. Mostrar que você já identificou os pontos em que precisa trabalhar pode acabar sendo um fator positivo.

Porém, nada de apenas nomear os pontos fracos. Cite situações e medidas que você está tomando para se desenvolver. Por exemplo, se tem dificuldade com idiomas estrangeiros, pode mencionar que já começou a fazer um curso online.

5. Por que você quer trabalhar nessa empresa?

Esse é o momento para você mostrar que está preparado e que conhece a empresa para a qual se candidatou. Pode citar, por exemplo, que gosta da abordagem da missão da companhia, da cultura ou da forma de relacionamento com os clientes. Mostre como suas habilidades e seus objetivos podem convergir com a cultura e o desenvolvimento da empresa.

6. Por que deixou seu último emprego?

Não falar mal de empresas e de colegas é uma característica de bons profissionais. Se o recrutador ouvir você falando mal de sua ex-empresa, vai acreditar que você vai falar mal da atual (ou futura) também. Por isso, adote um discurso moderado e, sempre que possível, elogioso.

Em vez de dizer que você se sentia estagnado e sem chances de avançar na carreira na empresa anterior, pode dizer que encerrou um ciclo de aprendizados e que precisava de novos desafios para continuar crescendo. Faz toda a diferença, não é?

Nada de sair criticando a sua empresa anterior na hora de tentar entrar em uma nova. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)
Nada de sair criticando a empresa anterior na hora de tentar entrar em uma nova. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

7. Como você lida com pressão?

Uma pergunta dessas tem o objetivo de entender como o candidato reage a mudanças de planejamento, prazos apertados e outras situações que exigem adaptabilidade e agilidade. Uma resposta ideal não apenas afirma que você aguenta a pressão como também ilustra situações reais que você pode já ter vivenciado.

8. Onde você quer estar em 5 anos?

É comum não ter um plano para os próximos anos, principalmente em momentos em que você busca uma recolocação no mercado de trabalho, porém uma pergunta dessas quer descobrir se você tem comprometimento com a empresa e se sua trajetória profissional tem coerência.

Se você responder que em 5 anos pretende estar vendendo arte na praia, provavelmente não vai passar a impressão de alguém compromissado com as próprias escolhas. Portanto, apresente metas plausíveis, como ter terminado uma pós-graduação e ter avançado de cargo na empresa.

Quer potencializar sua carreira? Comece uma pós-graduação no Mackenzie!

Fonte: Vagas, Voitto, Gupy, Toda Carreira, Blog Nubank, Digital House, Psicologia Viva

Este conteúdo foi útil para você?

72500cookie-check8 perguntas de entrevista de emprego que você precisa saber