Eis que você está tentando se concentrar nos estudos para o vestibular e, de repente, parece que as distrações se multiplicam ao redor. As notificações de redes sociais, a série favorita a alguns cliques de distância, o cachorro da vizinha latindo… Então, você resolve colocar os fones de ouvido e ouvir música enquanto estuda.

O que é a genética e quais são seus princípios básicos?

Mas será que ela ajuda mesmo a ter um rendimento melhor ou é só mais uma distração? Que tipo de música é o melhor para acompanhar a rotina de estudos? Confira alguns mitos e verdades sobre a trilha sonora perfeita para se preparar bem para as provas.

Ouvir música pode melhorar meu rendimento

(Fonte: Giphy)

Verdadeiro. Para entender a música que você está ouvindo, seu cérebro ativa ao mesmo tempo áreas muito diferentes. Essas conexões são capazes de estimular a criatividade e a concentração, reduzir o estresse e até afetar a percepção sobre a passagem do tempo.

Nosso cérebro não é programado para absorver informações abstratas ou pensar sobre uma única coisa por longos períodos. O que alguns neurocientistas sugerem é que temos dois sistemas de atenção: um consciente e outro inconsciente. O sistema consciente nos permite dirigir atenção para algo, enquanto o inconsciente é responsável por monitorar estímulos captados por nossos sentidos.

Quem foi Machado de Assis e quais obras podem cair no vestibular

O segundo sistema opera de forma mais rápida e instintiva; por isso, quando você está estudando e ouve algum barulho em casa, seu cérebro se concentra nesse som, muito antes de você raciocinar sobre a causa do barulho.

O que dificulta a concentração durante os estudos é justamente o fato de que, enquanto estamos usando nosso sistema consciente de atenção, o sistema inconsciente não desliga e segue atento aos estímulos externos. É aí que a música se torna uma aliada útil, pois proporciona um som constante e não invasivo, além de prazeroso, que pode ser capaz de neutralizar outros estímulos.

Qualquer tipo de música pode me ajudar a produzir mais

(Fonte: Giphy)

Mito. As regiões do cérebro estimuladas variam de acordo com o tipo de música e também com sua relação pessoal a ela. A maioria dos estilos musicais funciona melhor se você estiver realizando atividades repetitivas, já que as áreas do cérebro que prestam atenção à melodia, à letra ou lembram quando você ouviu a canção pela primeira vez vão estar ocupadas. Isso pode tornar mais difícil a leitura e a memorização durante os estudos.

Músicas com letra dificultam a concentração

(Fonte: Giphy)

Verdadeiro. Principalmente se você precisar se concentrar em uma leitura, a letra da música pode dividir sua atenção. Isso acontece porque nosso cérebro é programado para prestar atenção especial à voz humana.

Mas que tipo de música pode ajudar a se concentrar e reter mais informações, então? Há várias opções de estilos musicais instrumentais para fazer aquela hora de revisão do conteúdo valer bem mais. Algumas sugestões para experimentar e ver qual se encaixa melhor em sua rotina de estudos e seu gosto musical.

  • Música clássica: esse estilo pode facilitar muito a vida quando o trabalho envolve questões de raciocínio lógico. Grandes compositores podem se tornar seus companheiros na preparação para o vestibular. Que tal começar com Johann Sebastian Bach?
  • Jazz: com instrumentais elaborados, o jazz é uma ótima opção para quem quer estimular a criatividade. Esse estilo pode convidá-lo a relaxar e deixar sua mente pronta para percorrer diferentes ideias. Entre os músicos mais clássicos para começar, procure Miles Davis, Alice Coltrane e Thelonious Monk.
  • Música ambiente: artistas como Brian Eno e Aphex Twin produzem músicas com poucos instrumentos e melodias bem esparsas, que o fazem esquecer a passagem do tempo enquanto se concentra na tarefa.
  • Trilhas sonoras de filmes: se o que você precisa é de estímulo para resolver desafios, algumas trilhas de filmes podem ajudar. Algumas premiadas, como A Origem e O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, são um bom começo.Trilhas de video games: seguem um caminho semelhante ao das trilhas de filmes, mas tendem a ser mais energéticas, para incentivar os jogadores a manterem a atenção. Podem ser muito úteis para aquelas noites em que as leituras vão até mais tarde. Experimente as de Battlefield, Assassin’s Creed e Halo.

    Leia mais sobre vestibular