A Primeira Guerra Mundial ocorreu entre 1914 e 1918. Por mais que tenha acontecido já no novo século, foi resultado de problemas que tiveram início no século anterior. A situação política na Europa era delicada, com disputas internas e buscas por posições.

Os conflitos imperialistas recortavam os territórios das colônias e geravam problemas entre governos, especialmente em relação às divisões fronteiriças. Conjuntamente, o aumento da luta pelo mercado entre os países europeus não colaborava para o bom clima, que seguia incerto.

O que é a genética e quais são seus princípios básicos?

Havia, também, problemas em relação aos territórios dos países europeus. Após séculos de concorrência, ainda existiam fronteiras mal definidas e conflitos por regiões, como entre França e Alemanha e entre Sérvia e Império Austro-Húngaro.Mas exatamente o que foi esse confronto e quais foram os impactos gerados?

Estopim e desenvolvimento

Toda a tensão na Europa foi responsável por iniciar o confronto. No entanto, a morte do arquiduque austro-húngaro Francisco Ferdinando é considerada o marco que deu início à guerra. Por mais que esse evento não tenha sido um catalisador na sociedade, foi relevante politicamente.

Assinatura do armistício. (Fonte: Picturealliance/DPA)

A Sérvia e o Império Austro-Húngaro enfrentavam um conturbado momento político. Havia uma disputa pela Bósnia, com os sérvios buscando criar o que seria denominado de Grande Sérvia. Esse país contava com o apoio da Rússia no movimento pan-eslavismo.

O assassinato de Ferdinando, em 14 de junho de 1914, por um terrorista apoiado pelo grupo sérvio Mão Negra, gerou um efeito cascata. A partir de 29 de julho de 1914, diversas nações começaram a declarar guerra umas contra as outras.

Quem foi Machado de Assis e quais obras podem cair no vestibular

A disputa se estabeleceu entre dois blocos: Tríplice Aliança (Alemanha, Áustria-Hungria, Império Otomano como forças principais) e Tríplice Entente (Rússia, Grã-Bretanha e França encabeçando). Destaca-se que a Itália não esteve presente desde o início do conflito, mas foi parte da Tríplice Entente até 1915, quando aderiu à Guerra e lutou pela Tríplice Aliança.

A Primeira Guerra Mundial é dividida em três momentos: Guerra de Movimento (1914), Guerra de Trincheiras (1915-1917) e Segunda Guerra de Movimento ou Fase Final (1918). Os combates foram realizados principalmente no segundo momento, conhecido como o mais sangrento, com a Europa como o cenário da maioria dos confrontos.

Um das principais dúvidas é o motivo de o conflito ser considerado mundial se, na verdade, os confrontos ocorreram em uma região específica. Na verdade, muitos países, e até mesmo o Brasil, lutaram. E as consequências foram globais.

Consequências da guerra

É difícil estabelecer números precisos em relação à Primeira Guerra Mundial. Estima-se que 10 milhões de pessoas tenham morrido no conflito e por volta de 20 milhões tenham ficado feridas.

Mapa da Europa antes e depois da Guerra. (Fonte: Arte/OUL)

O fim da Guerra foi decretado com a união dos países considerados vencedores para realizarem um tratado de paz. Além disso, o tratado de Versalhes foi assinado, e a responsabilidade do conflito foi atribuída à Alemanha. Por toda a Europa, as consequências da Guerra puderam ser observadas: os países enfrentaram pobreza extrema, além de desemprego, devido à perda de áreas produtivas e de fábricas. A população, nos anos seguintes, sofreu com as dificuldades geradas pelo conflito.

O mapa da Europa também foi alterado, e em quase todas as nações nasceu um forte sentimento nacionalista. Internacionalmente, tanto o Japão como os Estados Unidos saíram fortalecidos, sendo apontados como potências.

A Primeira Guerra Mundial estimulou a Revolução Russa e a difusão dos ideais socialistas por toda a Europa. Por fim, o nazismo e a Segunda Guerra Mundial também são considerados resultado desse confronto.

Primeira Guerra Mundial no vestibular

Esse é um tópico frequente nas provas, por isso é esperado que haja alguma questão envolvendo o conflito. Para ter sucesso, deve-se considerar:

  • os motivos políticos e sociais relacionados com o desenvolvimento do conflito e o seu estopim;
  • as fases da guerra e as alianças firmadas entre os países;
  • as consequências em relação ao término da disputa;
  • as relações com os demais conflitos, como Revolução Russa e Segunda Guerra Mundial.

Não se esqueça de memorizar os principais nomes envolvidos e estudar as datas importantes. Muitas vezes, são esses detalhes que fazem toda a diferença.

Leia mais sobre vestibular