Conheça a psicologia positiva e saiba como aplicá-la no dia a dia

Saiba como vai funcionar o vestibular do Mackenzie

Falar de psicologia quase sempre remete aos problemas que as pessoas enfrentam em suas mentes. A área se concentra fortemente no combate a males como ansiedade, depressão, transtornos de atenção e diversas outras condições que assolam grande parte da população de uma forma ou de outra. Só que esse não foi sempre o foco de atuação dos psicólogos. Acredita?

A psicologia positiva é um conceito que vem sendo estudado desde os anos 1990, principalmente pelo professor e autor estadunidense Martin Seligman, então presidente da Associação Americana de Psicologia. Em suas obras, ele afirma que a psicologia até o início do século XX tinha como preceito estimular o bem-estar, além de curar as doenças da mente. Após a Segunda Guerra Mundial, porém, a última questão se tornou prioridade nos Estados Unidos e na Europa, o que mudou o rumo da área como um todo no mundo.

Então, Seligman deu voz à psicologia positiva para trazer de volta os estudos e esforços dos profissionais para o que é possível fazer para tornar a vida das pessoas melhor, não apenas trabalhando no que pode ter “dado errado”, mas principalmente no que pode dar certo. A essência dessa prática é construir mais, em vez de apenas consertar.

A abordagem de Seligman não é contrária às condutas tradicionais nem à psicologia que atua no tratamento de doenças e transtornos da mente. Ele ressalta em seus livros que a ciência que está implementando é uma colaboração com os métodos já existentes, não uma alternativa. Além do mais, pesquisas inovadoras como essas ajudam na descoberta de doenças e intervenções.

Psicologia positiva: a ciência da felicidade

(Fonte: Giphy)
(Fonte: Giphy)

O ponto principal sobre a psicologia positiva é que ela não é uma “versão gourmet” de autoajuda ou de simples pensamentos otimistas. É uma ciência e, portanto, envolve estudos, teorias e práticas. Depois de Seligman, inúmeros profissionais em todo o planeta se envolveram com o campo para desenvolver soluções que podem ser aplicadas a pacientes reais.

Em entrevista para a Exame, o empresário e palestrante Claudemir Oliveira afirma que “(…) a felicidade é uma busca, a pessoa precisa trabalhar para conquistá-la. Em resumo, a psicologia tradicional trouxe o cliente do ponto A (depressão) para o ponto B (não depressão). A psicologia positiva quer levar esse cliente ao ponto C (felicidade)”.

Algumas das ideias nas quais a psicologia positiva se sustenta são:

PERMA

(Fonte: Giphy)
(Fonte: Giphy)

Martin Seligman propagou, entre outros conhecimentos, o modelo PERMA para alcance do bem-estar: Positive emotion (emoções positivas); Engagement (engajamento); Relationships (relacionamentos); Meaning (significado); e Accomplishments (realizações).

Todos esses elementos contribuem na busca da felicidade, mas agem de forma independente, o que torna possível que eles sejam trabalhados separadamente. Vamos entendê-los melhor?

P – Emoções positivas

Esse é um dos fundamentos mais óbvios da psicologia positiva e provavelmente no que você pensou ao abrir este artigo: otimismo. O pensamento otimista pode ser treinado e é muito benéfico ver o lado bom das coisas em vez de focar no ruim.

E – Engajamento

Sabe quando você está fazendo algo e o tempo parece passar voando? Isso acontece porque você está engajado naquela atividade. Cada pessoa encontra prazer em diferentes ocupações, então encontre a sua e dedique algum tempo a ela frequentemente.

R – Relacionamentos

Ainda que encontrar a própria felicidade seja uma tarefa individual, somos seres sociais e precisamos construir relações. Isso não quer dizer que você precise ter centenas de amigos, mas sim que o isolamento dificilmente funcionará.

M – Significado

Para algumas pessoas, encontrar significado na vida é o mesmo que praticar alguma religião, acumular sabedoria ou ser bem-sucedido em uma carreira. Se você ainda não descobriu o seu, não se preocupe; lembre-se que os elementos são independentes.

A – Realizações

Por fim, é importante ressaltar que há muitas realizações na vida que não apenas as que consideramos “maiores”. Cada conquista resulta em felicidade, seja do tamanho que for!

Gostou desse conteúdo? Conheça mais sobre o curso de Psicologia.

O que achou?
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0