Os testes de proficiência em outro idioma podem ser extremamente importantes para as pessoas que querem estudar ou trabalhar no exterior. No caso de países cuja língua oficial é o inglês e até mesmo em instituições de outros países que adotam o inglês como idioma oficial, geralmente é exigido o Test of English as a Foreign Language (TOEFL) ou o International English Language Testing System (IELTS).

As duas provas testam seus conhecimentos em quatro seções — reading (leitura), speaking (conversação), writing (redação) e listening (compreensão auditiva), são aceitas praticamente no mundo todo, e a pontuação obtida tem a validade de 2 anos. No caso do IELTS, não há uma data de validade no certificado em si, mas geralmente as instituições só aceitam os resultados referentes aos últimos 2 anos. E, apesar das semelhanças, o TOEFL e o IELTS apresentam diferença em estrutura, abordagem e critérios de avaliação.

TOEFL

Fonte: Giphy

O TOEFL é uma prova administrada pelo ETS e, de maneira geral, é mais aceito nos Estados Unidos, apesar de ser reconhecido mundialmente. O exame é composto basicamente de questões de múltipla escolha e, desde 2005, pode ser realizado completamente pelo computador em uma prova conhecida como TOEFL iBT em um centro aplicador. Mesmo a parte de conversação é feita por meio de uma gravação no computador.

Com a duração de 4h30, o TOEFL tem um sistema de notas que varia de 0 a 120 pontos, sendo que cada seção compõe 30 pontos da nota final. O resultado vale por 2 anos, e a prova pode ser feita em diversas cidades do país.

IELTS

Fonte: Giphy

Também reconhecido mundialmente, o IELTS foi desenvolvido pela Universidade de Cambridge, é administrado pelo British Council e, de forma geral, é mais aceito em países da Europa, no Canadá, na Austrália, na África do Sul e na Nova Zelândia. Existem duas modalidades da prova: a Academic, voltada a candidatos de cursos superiores e de pós-graduação; e a General Training, para profissionais e outras pessoas que não tenham objetivos acadêmicos.

Diferente do que acontece com o TOEFL, há diferentes formatos ao longo da prova: questões de múltipla escolha, respostas curtas, preenchimento de espaço, entre outros. Além disso, a parte de conversação é realizada pessoalmente por um examinador treinado pela Universidade de Cambridge. A prova acontece de 2 a 3 vezes por mês no Brasil inteiro.

Qual escolher?

Fonte: Giphy

Como as duas provas são reconhecidas mundialmente e aceitas em quase todas as instituições de ensino, a escolha depende dos seus objetivos e do seu perfil. Também é importante pesquisar se a instituição em que você deseja ingressar aceita ambas ou tem preferência por alguma delas.

Por ser de múltipla escolha, o TOEFL é ideal para os estudantes mais intuitivos. Além disso, o teste oral é uma das grandes diferenças entre os dois exames e deve ser levado em consideração na hora de decidir. Avalie se você se sente mais confortável falando com um computador ou pessoalmente, com um examinador.

De forma geral, os dois exames são excelentes para testar o seu conhecimento do idioma, e a escolha depende mais dos seus objetivos específicos.

Confira mais dicas para potencializar sua carreira!