Hoje, grande parte das escolas têm equi­pamentos multimídia e acesso à internet à disposição do professor, logo não há porque não usar esses recursos que podem deixar a aula mais atrativa e significativa para o aluno. A título de exemplo, se o livro didático traz uma sugestão de obra de arte, o professor tem a possibili­dade de expandir esse trabalho, utilizando outras mídias para as quais a apresentação de uma obra artística são mais adequadas, devido a recursos como zoom, sonoplastia, detalhamento de cores etc.

Contudo, apesar dos benefícios que a tecnologia pode proporcionar à Educação, existem determinadas práticas pedagógicas indispensáveis e fundamentais ao processo de ensino-aprendizagem, e que merecem serem levadas adiante pelo professor em sala de aula.

Desenhe para seus alunos

Quando o professor desenha, ele oferece um modelo para seus alunos. A criança, por exemplo, vai observar como o professor segura na caneta ou no giz, como ele começa seus desenhos, a firmeza de seus traços etc.

O mesmo vale para a confecção de cartazes manuais. Quando o pro­fessor escreve diretamente no cartaz, usando canetas coloridas e toda sua criatividade, o aluno vê o professor “criando com as próprias mãos”, o que o incentiva querer criar também.

Escreva na lousa

Quando o aluno vê o professor escrevendo na lousa, ele aprende várias coisas como por exemplo, que a escrita começa de cima para baixo, da esquerda para a direita. Se o professor nunca es­creve nada, só projeta, por que, então, o aluno tem de escrever?

Quanto à caligrafia, se o profes­sor quer que o aluno seja caprichoso e faça uma letra legível e bonita, ele mesmo precisa dar o exemplo. Quanto mais o professor escreve durante a aula, mais modelos ele oferece ao aluno. Se o professor não tem uma letra regular e caprichada, ele deve treinar os movi­mentos até que sua caligrafia fique boa o suficiente para oferecer um modelo adequado para seus alunos.

Faça arte com sucata e cerâmica

(Fonte: Shutterstock)
(Fonte: Shutterstock)

São vários os be­nefícios dessa prática, desde os que incen­tivam o reaproveitamento de materiais recicláveis como os que trabalham a ima­ginação, a inventividade e a criatividade dos alunos.

Trabalhos com argila são muito gratificantes para a criança. Além de ser um elemento natu­ral (sem os corantes artificiais da massi­nha), a argila tem uma textura agradável e é facilmente modelada. Proporcionar à criança trabalhos com argila é recuperar a arte primeira dos artesãos.

Proponha aulas de culinária

Ainda que sua escola não tenha uma cozinha expe­rimental, muitas receitas podem ser feitas em sala de aula, e com os alunos aju­dando. Com a industrialização de produ­tos, há alunos que nunca viram os pais ou seus responsáveis fazendo um bolo, por exemplo. Atividades de culinária tra­balham, entre outras coisas, noções de medida, de quantidade e de grandeza. Além de ser uma aula deliciosa!

Desenvolva o raciocínio lógico-matemático e as habilidades procedimentais

(Fonte: Shutterstock)
(Fonte: Shutterstock)

Mesmo com uma disponibilidade de tecnologias para o ensino da Matemática, ainda se faz necessário que os alunos desenvolvam des­trezas básicas de contagem e operações, as quais não se restringem a encontrar uma resposta exata, mas incluem, por exemplo, fazer estimativas, desenvolver estratégias pessoais de cálculo, compreender os con­ceitos e as situações, verificar a coerência de seus resultados e aperfeiçoar o raciocínio lógico.

Fonte: Sistemas de Ensino Mackenzie na Prática

Gostou deste conteúdo? Conheça o Sistema Mackenzie de Ensino.