Quem pensa em cursar Engenharia já sabe que encontrará um caminho de muitos números e cálculos pela frente, mas essa é a diversão de quem escolhe essa formação. No campo da engenharia há diversas especificações, que vão desde a mecânica até a engenharia de petróleo, por exemplo, o que faz do curso uma opção bastante concorrida — e os salários não deixam a desejar.

De acordo com o Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo (Seesp), por cada 6 horas trabalhadas o profissional ganha em média 6 salários-mínimos; para os que trabalham mais do que isso, deve-se acrescentar, a cada meia hora, o percentual de 50%. Ou seja, se um engenheiro trabalha 7 horas por dia, ele recebe, em média, R$ 7.485, levando em consideração o salário-mínimo vigente em 2019, no valor de R$ 998. Já se o profissional atuar por 8 horas diárias, o salário pode chegar a R$ 9.000. Mas isso varia muito de cargo para cargo e em cada uma das engenharias.

Engenharia civil

(Fonte: Giphy)

Na engenharia civil, que atua na criação de projetos para construção e manutenção da infraestrutura, o profissional recebe em média R$ 7.465,51.

Engenharia mecânica/mecatrônica

(Fonte: Giphy)

Na área da mecânica, a ênfase é na criação, produção e operação de máquinas e ferramentas, enquanto na mecatrônica o foco é em projetos de sistemas eletromecânicos automatizados, controlados por computador. A mecatrônica é considerada o futuro da engenharia, na qual o profissional pode ganhar até R$ 9.245,20.

Engenharia elétrica

(Fonte: Giphy)

Os engenheiros eletricistas atuam com eletricidade, eletromagnetismo e eletrônica. A profissão surgiu no século XIX, quando a sociedade começou a usufruir dos benefícios da eletricidade. Nessa área é possível ganhar até R$ 8.140,39.

Engenharia de materiais

(Fonte: Giphy)

Quem opta pela área de materiais estuda a relação das estruturas moleculares dos elementos com as características físicas dos objetos. Investindo na engenharia de materiais, o profissional recebe um salário médio de R$ 7.310.

Engenharia de produção

(Fonte: Giphy)

A engenharia de produção é uma vertente da engenharia mecânica, mas atuando em produção de materiais em larga escala, com operação de linhas de produção, como em empresas automobilísticas. Esse profissional tem um ganho médio de R$ 7.870,96.

Engenharia química

(Fonte: Giphy)

O engenheiro químico trabalha com a criação de plantas químicas, ou seja, a criação de materiais de valor a partir de uma transformação química ou bioquímica pela manipulação de componentes. Geralmente, essa produção é feita em larga escala e quem atua na área tem uma média salarial de R$ 7.832,92.

Todas as estimativas salariais citadas levaram em consideração os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) referentes aos profissionais contratados até maio de 2018.

Independentemente da engenharia eleita, é importante ter um bom rendimento no fim do mês, ser competente e dedicado àquilo que faz. Com força de vontade, focado no bom desempenho, com certeza você conseguirá alcançar o sucesso e consequentemente os benefícios financeiros que almeja na sua profissão.