Quando entramos no mercado de trabalho e começamos a ganhar dinheiro, é comum acabarmos perdendo o controle e gastando demais. Porém, criar bons hábitos financeiros desde cedo é uma forma de evitar problemas no futuro e nunca passar por grandes sufocos. E aqui entra o planejamento financeiro pessoal.

Um planejamento financeiro engloba tomar consciência do seu dinheiro e reunir informações para tomar decisões de maneira planejada e inteligente, para ajudá-lo a realizar seus sonhos e viver sem preocupações.

Confira algumas dicas para começar seu planejamento financeiro pessoal.

Comece pelo básico

(Fonte: Pexels)

Se você nunca fez um planejamento financeiro nem sabe quais seriam os primeiros passos, comece anotando tudo o que você ganha e tudo o que gasta. É simples: sempre que você receber dinheiro, anote em um caderno, planilha ou aplicativo; e faça o mesmo quando gastar.

Isso ajudará a saber exatamente o quanto você ganha e no que está gastando. Esse exercício serve para ter uma ideia mais concreta de para onde está indo seu dinheiro.

Crie um orçamento

(Fonte: Giphy)

Em vez de se perguntar para onde seu dinheiro está indo, é hora de ditar para onde ele vai. Assim como o orçamento de uma empresa define o pagamento dos funcionários, o aluguel e o valor das compras, o orçamento pessoal define o valor que você pode pagar por aquilo que precisa ou quer.

Qual é o valor mínimo, mas possível, que você deve pagar em transporte por mês? E em comida, roupas, lazer? Assim, você começa o mês sabendo no que pode gastar e quanto.

Planeje-se para quitar as dívidas

(Fonte: Pexels)

Se você tem dívidas, uma parte importante do seu orçamento deve ser separar o dinheiro para quitá-las. Se essas contas acumulam juros altos, o melhor é se esforçar para não pagar o valor mínimo e tentar adiantar as parcelas. Assim, você se vê livre delas o mais rápido possível e pode usar esse dinheiro para outras coisas.

Pense bem antes de usar o cartão de crédito

(Fonte: Pexels)

Tendemos a gastar mais quando usamos o cartão de crédito. Dave Ramsey, especialista em finanças pessoais, comenta um estudo que investigou os hábitos de clientes no McDonald's e constatou que as pessoas gastavam 47% a mais quando compravam no crédito.

Por isso, antes de usar o cartão, pense se é um valor que você pagaria se tivesse o dinheiro vivo e considere juntar a quantia para fazer compras maiores em vez de parcelar.

Pague-se primeiro

(Fonte: Pexels)

O dinheiro que você vai guardar é como se fosse o seu pagamento mensal, então trate-o como uma conta tão importante quanto qualquer outra. Na verdade, trate-o como uma prioridade e se pague antes de gastar qualquer coisa no mês. Assim, esse dinheiro nem vai ser considerado no resto do período.

Crie objetivos

(Fonte: Pexels)

O planejamento financeiro é importante porque permite que você atinja seus objetivos, mas quais são eles? Você é quem deve defini-los. Pense no que quer fazer a curto, médio e longo prazos. Quer passar as próximas férias no exterior, comprar um carro em 2 anos, viver de renda em 10 anos? Pense nos seus objetivos e calcule como alcançá-los.

Pense no futuro

(Fonte: Pexels)

Saber como chegar a seus objetivos é uma das grandes vantagens do planejamento financeiro, mas ele também é importante para garantir que você não passe por grandes sufocos. Para isso, é preciso incluir dois fatores no seu orçamento: reserva de emergência e aposentadoria.

A reserva de emergência deve somar os seus gastos mensais durante 6 meses. Assim, se você ficar desempregado ou se tiver uma emergência relacionada a saúde, não precisará se desesperar. Já a aposentadoria deve ser um investimento de longo prazo, para ser usado quando você já não estiver trabalhando.

Com essas dicas, seu planejamento financeiro pessoal vai cobrir suas necessidades sem deixar seus sonhos de lado. Comece hoje mesmo!

Quer potencializar sua carreira? Comece uma pós-graduação no Mackenzie!