O comércio exterior brasileiro já tem mais de 200 anos de história, e, com o desenvolvimento do setor, o escopo de trabalho do profissional responsável pela sua gestão tem se alterado. Antigamente, bastava ter um perfil operacional e saber como emitir documentos, controlar prazos, acompanhar regimes aduaneiros especiais e se relacionar com os integrantes da cadeia logística. Hoje, o profissional que deseja se destacar em um mercado cada vez mais competitivo precisa ir além e ter uma visão mais estratégica e criativa.

Especialmente em tempos de crise, o País valoriza quem tem a habilidade de encontrar alternativas que reduzam custos e, ao mesmo tempo, garantam a conformidade das operações aduaneiras.

Por dentro da profissão

Fonte: Giphy

Primeiro, é preciso explicar a diferença entre comércio internacional e comércio exterior, duas expressões que podem erroneamente ser vistas como sinônimos. O comércio internacional diz respeito às normas globais aplicadas a produtos e serviços, de maneira uniforme; e o comércio exterior trata das regras internas de um país relacionadas ao comércio internacional.

Todas essas regras universais são criadas com a função de disciplinar os itens do exterior que entram no país, bem como a saída de produtos nacionais para o mercado internacional.

No comércio exterior estão questões financeiras, cambiais, fiscais, tributárias, administrativas, comerciais, aduaneiras e logísticas. O setor é responsável por assegurar que todas as mercadorias estejam nas condições exigidas no momento do transporte, além de certificar a presença de toda a documentação necessária e dos impostos quitados para que importação e exportação aconteçam sem nenhum problema.

Os profissionais dessa área precisam compreender todos os aspectos legais e comerciais que envolvem as atividades de entrada e saída de produtos, bem como os desafios no processo de internacionalização das organizações e dos mercados.

Além da formação

Fonte: Giphy

A pessoa que deseja ter uma carreira na área de comércio exterior precisa estudar todos os aspectos contábeis e tributários do país, além de dominar a matemática financeira e ser um bom conhecedor de história, geografia, política nacional e internacional.

Além disso, o mercado valoriza imensamente os profissionais que se dedicam a aprender novos idiomas e têm a capacidade de se comunicar com pessoas em diferentes nações e inseridas em outras culturas. Por isso quem tem vivência educacional ou profissional em outro país tende a se destacar na hora de buscar um bom emprego na área.

Destaque no mercado de trabalho

Fonte: Giphy

No Brasil, o profissional de comércio exterior sofreu uma grande desvalorização ao ser visto apenas como uma peça focada no operacional dentro da cadeia logística. Entretanto, a crise econômica no País criou uma nova oportunidade e mostrou a necessidade de se ter profissionais capazes de implementar alternativas para que o Brasil não perca competitividade internacional apesar do alto custo tributário e logístico.

Vive um momento de plena valorização, atualmente, o profissional de comércio exterior que é capaz de garantir a conformidade das operações aduaneiras e permitir aos importadores e exportadores o máximo usufruto dos diversos mecanismos que reduzem a carga tributária e o custo logístico.

Esse trabalho pode ser realizado em indústrias, comércios, instituições financeiras, empresas de logística, entre outras, e o profissional focado em gestão de comércio exterior também pode ocupar cargos públicos em secretarias municipais e estaduais, ministérios e órgãos federais.

Ainda não sabe qual profissão seguir? Acesse nosso guia de profissões 360!