Pesquisar materiais como cerâmicas, plásticos e resinas para a indústria e possíveis aperfeiçoamentos para aplicá-los de acordo com a necessidade utilizando apenas um deles ou fazendo uma combinação de propriedades para criar algo novo. Em resumo, esse é o trabalho de um engenheiro de materiais. O bacharel em Engenharia de Materiais faz a gestão e supervisiona projetos, produção, transformação e uso desses elementos.

A engenharia de materiais integra a modalidade industrial, de acordo com a Resolução n. 241, de 31 de julho de 1976, do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea). Dela também fazem parte as engenharias mecânica, metalúrgica, aeronáutica, de minas, de petróleo, química, industrial, de tecnologia de alimentos, naval e têxtil.

(Fonte: Giphy)

Para entender um pouco mais sobre o trabalho do engenheiro de materiais, imagine que um objeto ainda está sendo projetado. Antes de a ideia sair do papel e o produto ser criado, deve-se pensar qual material é mais adequado para dar origem a ele: se precisa ser leve, se deve ser um bom condutor de eletricidade ou, ainda, se é necessário que ele suporte temperaturas elevadas. Essas são algumas propriedades que definem que tipo de material deve ser utilizado na confecção do artigo.

Por outro lado, para que as matérias-primas tenham as características necessárias para se obter o resultado esperado, elas devem ter determinada estrutura, que é conseguida a partir de uma rota de processamento. Algumas vezes, a composição dos materiais deve ser modificada ou pode ser necessário misturar mais de um tipo deles — no último caso, dá-se origem a compósitos. É aí que entra o engenheiro de materiais. Levando em consideração todas essas questões, o profissional trabalha para desenvolver, aperfeiçoar ou selecionar o material adequado para determinado fim.

Se você é da turma que durante os anos de escola teve afinidade com Física, Química e Matemática e se interessou pela descrição acima, a engenharia de materiais pode ser uma boa opção de carreira a seguir, afinal esses conhecimentos fazem parte do dia a dia de trabalho do profissional. Para atuar na área, é recomendado que o aluno tenha interesse por pesquisa e esteja sempre atualizado sobre os avanços tecnológicos e científicos no setor.

Onde o engenheiro de materiais pode trabalhar?

(Fonte: Giphy)

O profissional formado em Engenharia de Materiais tem um amplo leque de atuação, podendo trabalhar em áreas como construção civil (em fábricas de vidro ou de cimento, por exemplo), setor financeiro, indústrias (como siderúrgicas, petroquímicas, metalúrgicas, mecânicas e automotivas) e até em universidades e institutos de pesquisa públicos ou privados.

As áreas que mais contratam profissionais da engenharia de materiais são a petroquímica e a siderúrgica; depois delas está a indústria de transformação de polímeros. O engenheiro de materiais também pode atuar como professor, pesquisador, consultor ou perito, além de ser responsável pelo estudo de desempenho e pelo controle de qualidade dos processos.

Cada vez mais, a preocupação com a sustentabilidade está presente no setor, pela demanda de produtos menos agressivos ao meio ambiente tanto durante quanto depois do processo de fabricação.

Após a faculdade, o engenheiro de materiais pode se especializar em um dos tipos de matérias-primas: cerâmicas, polímeros ou metais. Para exercer a profissão, ele precisa estar registrado no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) do estado onde trabalha.

O que se estuda no curso de Engenharia de Materiais?

(Fonte: Giphy)

Com média de duração de 5 anos, o curso de Engenharia de Materiais tem grade curricular formada, nos 2 primeiros anos, por disciplinas que contemplam assuntos gerais, abordados também em outras graduações de Engenharia: Ciência, Tecnologia e Sociedade nas Engenharias,  Linguagem de Programação, Química Geral, Cálculo Diferencial e Integral, Física Geral e Experimental, Fundamentos da Matemática, Desenho Técnico e CAD, Geometria Analítica e Vetores, Álgebra Linear, Fundamentos de Economia, Mecânica Geral, Estatística e Princípios de Empreendedorismo, entre outras.

Com o avançar dos semestres, o aluno passa a estudar assuntos mais específicos relacionados ao curso escolhido, como Estrutura da Matéria, Materiais Cerâmicos, Materiais Metálicos, Materiais Poliméricos, Processamento de Materiais Metálicos, Degradação e Estabilização de Polímeros, Técnicas de Caracterização de Materiais e Blendas e Compósitos Poliméricos.

O ramo da nanotecnologia também faz parte da engenharia de materiais e, especificamente nessa área, o aluno cursa disciplinas como Nanomateriais e Nanotecnologia e Propriedades Fotônicas, Elétricas e Magnéticas de Nanomateriais.