De acordo com dados de um estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), 41% das micros e pequenas empresas no Brasil vão à falência devido à falta de planejamento e de visão de mercado. A complexidade das novas tecnologias de gestão e seu alto custo também foram questões listadas, responsáveis por 14,43% das empresas que fecharam as portas.

Diante desse problema corporativo é que a controladoria aparece: entre as tantas facetas da gestão, esses aspectos são analisados e tutelados por ela. Em concordância com os dados expostos, grande parte das empresas que se encaixam no perfil descrito acima não costumava aderir à controladoria.

É possível conectar os pontos com facilidade para chegar à simples conclusão de que esse ramo é extremamente importante para a saúde de uma organização. Uma pesquisa do Sebrae sobre Causa Mortis de uma empresa em seus primeiros 5 anos de vida fortalece esse argumento, uma vez que a falta de planejamento aparece (mais uma vez) como a causa principal da falência de empresas de pequeno porte.

(Fonte: Visualhunt)

Mas, afinal, o que é a controladoria?

A controladoria pode ser considerada um braço tanto das ciências contábeis quanto da administração, porque une conhecimentos de ambas as áreas. Trata-se de um ramo de staff, ou seja, de assessoria e consultoria, e é responsável pelo controle orçamentário e administrativo da empresa — ficando, tecnicamente, fora de sua pirâmide hierárquica.

Em suma, essa profissão se vale de diversos conhecimentos para monitorar e apoiar todas as seções de uma corporação sob a égide da gestão organizacional. Está nas mãos do controller, portanto, a análise de dados e geração de informações que direcionam momentos decisórios. O objetivo, é claro, é fazer com que a corporação eleve seu desempenho, alcançando resultados positivos e, assim, atinja suas metas no mercado.

Por que a controladoria se tornou tão importante?

É evidente que a tecnologia inferiu muitas mudanças no cotidiano, e o mundo corporativo não ficou de fora. Os paradigmas, atualmente, são outros. A competitividade não é somente “maior”, mas crescente, e os consumidores estão cada vez mais exigentes. Além disso, as inovações não dão trégua: a cada dia outra invenção surge.

Dito isso, nem toda empresa possui os requisitos para se destacar nesse contexto, mas qualquer corporação que almeja sobreviver às mudanças e vencer os desafios precisa se adaptar o tempo todo. Uma estratégia impreterível é o desenvolvimento de um planejamento estratégico que atenda às novas necessidades constantes dos stakeholders (órgãos fiscalizadores, clientes, fornecedores, bancos, acionistas, investidores etc.).

(Fonte: Visualhunt)

Como a controladoria atua na prática?

Inicialmente, padrões de qualidade precisam ser estabelecidos, e desse processo todos os colaboradores devem participar, desde aqueles que ocupam cargos mais altos até os operacionais. A partir disso, inicia-se a estruturação dos setores de suporte, das operações contábeis e financeiras. O próximo passo é analisar o custo integrado à contabilidade e o preço de venda de produtos. Por fim, cuida-se do orçamento empresarial, de despesas fixas, soluções financeiras, captação de recursos, análise de desempenho, entre outros.

Assim, o controller consegue definir com os gestores os melhores padrões de controle e projetar metas e resultados realistas. Ademais, é responsabilidade da controladoria a eliminação dos riscos de excesso, desperdício e até mesmo roubo e fraudes financeiras. Posteriormente, é feita uma análise comparativa dos resultados alcançados e dos padrões estabelecidos para que qualquer desvio possa ser corrigido. Entre outras funções, o controller ainda se responsabiliza por monitorar a contabilidade fiscal, desenvolver projetos, gerenciar a tesouraria, acompanhar o departamento financeiro, organizar o planejamento tributário, participar da previsão orçamentária anual (budget) e elaborar relatórios de desempenho.

(Fonte: Visualhunt)

O curso de Controladoria

A especialização (lato sensu) é voltada para gestores e operadores da área contábil e financeira, empreendedores e jovens executivos que procuram expandir sua visão de planejamento e mercado. Em geral, a grade varia pouco de instituição para instituição, mas as seguintes disciplinas podem ser encontradas na grade de algumas faculdades e universidades:

  • Matemática Financeira
  • Estrutura e Elaboração das Demonstrações Contábeis
  • Estatística Aplicada a Finanças
  • Análise de Projetos e Avaliação de Empresas
  • Orçamento e Controle Empresarial
  • Planejamento Tributário
  • Jogos e Simulação de Negócios
  • Gestão Estratégica de Custos
  • Mercado Financeiro
  • Finanças Corporativas
  • Controle Interno
  • Metodologia da Pesquisa
  • Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional
  • Gestão de Carreira
(Fonte: Visualhunt)

Essa especialização ajuda o desenvolvimento profissional com conhecimentos aprofundados de gestão empresarial. E, como ficou evidente, controllers são extremamente necessários para a permanência das empresas no mercado e seu sucesso, portanto esses profissionais têm sido cada vez mais requisitados. Um curso de Controladoria dá um bom upgrade no seu currículo e possibilita a conquista de salários maiores.

Ainda não sabe qual profissão seguir? Acesse nosso guia de profissões 360!