Escolher uma universidade, muito além de um passo importantíssimo para o seu futuro, significa sair da zona de conforto. Isso porque nem sempre a melhor instituição para o curso desejado está na sua cidade. Então surge aquela dúvida cruel: ir ou não ir?

Listamos algumas dicas para ajudá-lo a decidir se é hora de morar longe da sua cidade.

A escolha do curso

(Fonte: Giphy)

A definição do seu curso versus o seu nível de desprendimento em relação à sua rotina atual são as primeiras questões que você precisa analisar. Alguns cursos oferecem um mercado de atuação mais amplo (e competitivo), o que faz com que você precise encontrar uma universidade conceituada no ramo escolhido para sair na frente. Caso o mercado para o seu curso seja menos competitivo ou estável, é ainda mais fácil e você precisa encontrar universidades que são referência nesses segmentos, independentemente de estarem na sua cidade ou não.

Coloque os custos na ponta do lápis

(Fonte: Giphy)

Se a melhor universidade para o seu curso realmente ficar fora da cidade, é hora de colocar tudo na ponta do lápis; não adianta apenas prestar o vestibular e se mudar. Morar fora envolve uma série de custos que precisam ser mensurados com antecedência, como aluguel, transporte, alimentação, livros e uma reserva para imprevistos. Caso você não ganhe uma bolsa para a faculdade mais um ponto importante deve ser considerado: o valor da mensalidade.

Se você tiver familiares ou amigos para compartilhar a moradia durante o curso, uma das maiores preocupações já não será um problema. Do contrário, uma opção mais em conta é o aluguel de quartos em repúblicas, que são compartilhados com outros colegas em locais geralmente próximos ou dentro das universidades e destinados para pessoas com limitações financeiras. Aqui, vale uma ressalva e um tempo de adaptação para conhecer as novas pessoas que dividirão a “casa” com você.

Pense na logística para a universidade

(Fonte: Tenor)

Resolveu partir? Então pense na logística do deslocamento do local de estadia para a universidade. Dependendo da duração do curso, isso pode pesar na rotina e no bolso. Se as aulas forem em período integral, é interessante que a moradia não seja muito longe, para que você consiga, em pouco tempo, voltar para casa e recarregar as energias.

Se você tiver algum meio de locomoção própria ou amigos e familiares que podem dar aquela força, melhor ainda. Mesmo que haja um tempo um pouco maior para o deslocamento, isso não será um problema.

Nota de corte versus mercado

(Fonte: Tenor)

O ponto máximo para a sua decisão precisa ser este: qual é a relação entre a concorrência para o vestibular desejado e a quantidade de vagas? Por vezes, universidades conceituadas fora das grandes metrópoles têm um número menor de inscritos ou de concorrência, sendo mais “fácil” conquistar o seu espaço. Essa, na realidade, é uma das principais razões pelas quais alunos aceitam sair da zona de conforto em busca dos seus objetivos em outras cidades.

Mas relaxe e saiba que o mais importante você já fez: definir a meta de entrar na universidade! Seja qual for a sua decisão, vá em frente. Bons estudos!


Gostou desse conteúdo? Entenda como funciona o vestibular do Mackenzie