O que é a bateria universitária?

Quem nunca teve vontade de aprender a tocar instrumentos de percussão que atire a primeira baqueta. Eles estão presentes em todas as sociedades desde os tempos mais remotos.

Essa maneira ancestral de comunicação humana é capaz de criar o ritmo necessário a qualquer evento e unir grandes grupos na mesma vibração. E tanta energia não poderia estar de fora de um dos momentos mais importantes da sua trajetória: a vida universitária. Para isso, existem as baterias, que são os grupos de alunos que tocam instrumentos de percussão em eventos da faculdade. 

Apresentação da bateria do curso de Economia da Universidade Mackenzie. (Fonte: Carlos Grando/Youtube)

Por meio do ritmo dos instrumentos, a bateria permite que grandes grupos se conectem em um mesmo ritmo. Basta ver o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro e de São Paulo, as maiores do país: dezenas de milhares de pessoas vibram sob os mesmos toques.

Mas esse senso de grupo começa, é claro, pelos próprios integrantes da bateria. Nela, cada pessoa toca um instrumento e colabora de uma forma particular à musicalidade. Dos instrumentos mais graves e pesados aos mais agudos e leves, todos se articulam na criação do mesmo objetivo.

Por isso, é bacana participar da bateria universitária. Assim como o coral e outros exercícios musicais de grupo, trata-se de um momento de desenvolvimento pessoal, de trabalho em grupo e de aprendizado sobre teoria e técnica musical.

Veja quais são os instrumentos mais usados

Os instrumentos usados na bateria universitária podem variar um pouco, mas costumam ser os seguintes:

Em que ocasiões a bateria se apresenta?

Após muitos ensaios, as baterias universitárias fazem apresentações em eventos ligados à universidade. Elas costumam ser chamadas para animar formaturas e jogos acadêmicos, por exemplo.

É por isso que a bateria costuma ter proximidade com a Atlética, o coletivo de alunos que treinam e competem em diversas modalidades esportivas. 

Em alguns casos, esses grupos se fundem, e a bateria é mais um dos subgrupos, ao lado do futebol, xadrez, vôlei, basquete e tantos outros.

Compreenda por que ela é importante para a extensão

A Universidade Presbiteriana Mackenzie tem diversas atividades de extensão, fundamentais à vivência acadêmica. (Fonte: Bruno Rodrigues B Silva/Shutterstock)
A Universidade Presbiteriana Mackenzie tem diversas atividades de extensão, fundamentais à vivência acadêmica. (Fonte: Bruno Rodrigues B Silva/Shutterstock)

Se você tem interesse em ter a vivência da bateria em sua graduação, deve optar por uma universidade de referência. Diferente de faculdades e centros de ensino superior, esse tipo de organização tem atividades de extensão, além do ensino e da pesquisa. É o caso do Mackenzie, com mais de 150 anos de tradição e excelência.

Mas o que é extensão? É tudo aquilo que tem por objetivo criar políticas de desenvolvimento e qualidade de vida para as comunidades interna e externa. No caso da bateria, é uma ótima forma de acolher os alunos e apresentar a universidade, com muito ritmo, em eventos internos e externos.

Conheça as baterias da Mackenzie

Algumas universidades têm uma única bateria. Outras, maiores, têm uma por curso ou por soma de cursos. Veja algumas entre as existentes na Universidade Mackenzie:

E aí, gostou de conhecer mais sobre esse mundo? Então pode ir se aquecendo: logo, logo você vai estar entre os tocadores da famosa bateria da Universidade Presbiteriana Mackenzie!

Quer ser um mackenzista? Saiba como funciona nosso vestibular.

Fonte: Integrae, Baterias Universitárias, Mackenzie.

Este conteúdo foi útil para você?

42150cookie-checkO que é a bateria universitária?

Cadastre-se na newsletter

E receba conteúdos exclusivos