Saiba como vai funcionar o vestibular do Mackenzie

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), definida pelo Governo Federal em conjunto com o Ministério de Educação e Cultura (MEC), propõe uma revolução no sistema de Educação Básica do Brasil, como trabalhar o equilíbrio emocional do aluno e oferecer ensino em tempo integral.

A ideia surgiu da necessidade de criar e estruturar um ensino igualitário no país. Dessa forma, a maior parcela do cronograma do ensino básico será comum a todas as escolas, ficando apenas uma parte voltada para os assuntos culturais de cada região, considerando igualmente importantes os elementos comuns presentes nos sistemas de ensino de cada estado e município.

O conceito de um currículo nacional comum não é algo único ou criado pelo governo brasileiro. Estados Unidos, Argentina, Austrália, Dinamarca e Finlândia já debateram e adotaram um modelo escolar que garante a igualdade na educação de todo o país.

Qual é a importância da base curricular na formação dos alunos?

(Fonte: Giphy)

A BNCC é de extrema importância para garantir a formação contínua dos educadores e incentivar o mesmo nível de aprendizado e oportunidades a todos os estudantes do país, independentemente do nível social.

O desenvolvimento da habilidade socioemocional dos alunos é um ponto importante que a proposta considera trabalhar, porque não se trata unicamente de explicar e focar o conteúdo didático em si; é um desenvolvimento contínuo, que ajuda o aluno a pensar, tomar decisões e desenvolver o equilíbrio social.

Algumas mudanças propostas pela BNCC

(Fonte: Giphy)

A BNCC trabalha com algumas habilidades que englobam aspectos como:

  1. conhecimento — Valorizando conhecimentos já adquiridos;
  2. pensamentos científico, crítico e criativo — Para instigar a reflexão;
  3. manifestações culturais;
  4. comunicação por meio da diversidade de linguagens;
  5. argumentação de maneira a transmitir confiança;
  6. entendimento da cultura digital;
  7. compreensão da diversidade cultural;
  8. autoconhecimento e autocuidado;
  9. fortalecimento do processo de empatia e cooperação;
  10. autonomia e responsabilidade como cidadão.

A proposta defende que, para o desenvolvimento completo do propósito da Educação Básica, é necessário adquirir as habilidades citadas, pois elas permitem resolver problemas cotidianos individuais e coletivos. Para que essas habilidades sejam desenvolvidas da melhor forma, devem ser trabalhadas desde o ensino infantil.

Entre as mudanças mais profundas no Ensino Fundamental está a organização de todo o conteúdo em unidades temáticas. Um mesmo tema pode estar presente do 1º ano ao 9º ano; no entanto, a cada etapa o assunto é abordado e relacionado de maneiras diferentes, de acordo com o nível e a idade dos alunos.

Essa mudança não causará impacto somente na composição do novo currículo mas também nos métodos de ensinar e aprender, na gestão, na formação continuada dos professores, nas avaliações e no próprio projeto pedagógico.

A mudança é realmente necessária?

(Fonte: Giphy)

A resposta é "sim". Atualmente, a BNCC está na terceira etapa do processo de implementação, que começou em 2018 e ocorrerá até 2020, passando por:

  • reestruturação da grade curricular;
  • formação contínua dos educadores;
  • revisão de projetos pedagógicos e materiais didáticos;
  • avaliação periódica e acompanhamento do processo de aprendizagem.

A BNCC precisará ser melhorada continuamente, mas é fato que será um grande avanço para a educação brasileira. A Austrália é um exemplo disso, tendo passado por oito revisões até chegar ao ponto que considera ideal, o que não exclui o processo de evolução.

Nós do Mackenzie entendemos a importância da Base Nacional Comum Curricular na formação educacional e pessoal de cada indivíduo, por isso estamos em processo de adaptação contínua para atender da melhor forma possível às novas propostas.

Gostou desse conteúdo? Conheça mais sobre o curso de Pedagogia.