O curso de Gastronomia é um mistério para muitas pessoas. Os alunos só aprendem a cozinhar? Quem se forma pode ser chamado de chef? Há mercado para quem faz esse curso?

Venha descobrir o que é mito e o que é verdade na área da gastronomia.

(Fonte: Giphy)

É preciso ser um grande cozinheiro para fazer Gastronomia

Mito. Saber cozinhar traz algumas facilidades, especialmente nos primeiros semestres, mas ninguém precisa ter um conhecimento prévio ou extenso para iniciar um curso de Gastronomia. Ter interesse pela área e pelo mercado de trabalho é mais importante do que saber como fazer muitas receitas.

Saiba como vai funcionar o vestibular do Mackenzie

especial, porque o curso forma profissionais para atuar em diversas áreas que vão além da parte operacional de cozinhas. Você pode atuar como gestor, empreendedor, consultor, na indústria de alimentos no desenvolvimento de novos produtos, como docente, pesquisador, entre outras atividades ligadas à área da alimentação e da gastronomia.

(Fonte: Giphy)

Quem se forma em Gastronomia só pode trabalhar na cozinha

Mito. O mercado da gastronomia é vasto e traz diversas oportunidades para quem se dedica a ele. No curso, você aprende sobre as técnicas culinárias e suas particularidades, mas também sobre processos industriais, nutrição, legislação da indústria alimentícia, segurança alimentar, incluindo uma forte base de gestão para você criar ou administrar um negócio.

Quem se forma em Gastronomia pode ser auxiliar de cozinha, chef pessoal ou mesmo chef executivo, chef de grandes cadeias de restaurantes, assim como trabalhar com vistoria de cozinhas industriais, desenvolver receitas para produtos criados pela indústria, administrar restaurantes ou refeitórios e prestar consultorias.

Além disso, é possível seguir a carreira acadêmica, fazer pesquisas, dar aulas, ser crítico gastronômico e escrever livros de culinária.

(Fonte: Giphy)

É preciso gostar de trabalhar com pessoas

Verdade. Gastrônomos, cozinheiros e Chefs devem pensar no paladar e na experiência dos clientes, a interação com outras pessoas acontece a todo o momento: na cozinha, no salão, no contato com o cliente. Dentro da cozinha e do salão, o trabalho em equipe  é essencial, visto que o profissional deve ser um líder, coordenando, organizando e gerenciando toda sua equipe. Por isso, ter disciplina, bons relacionamentos, respeito, ética e espírito de liderança são critérios que definem quem se destaca nesse mercado.

(Fonte: Giphy)

O mercado da gastronomia está em expansão

Verdade. O mercado da gastronomia está muito aquecido, com novas propostas de negócios nas grandes metrópoles, incluindo o setor hoteleiro. Em cidades turísticas, redes de hotéis têm apostado em profissionais graduados para criar cardápios cada vez mais interessantes, que cativem e impressionem os hóspedes. Hoje em dia, a entrega a domicílio, a culinária destinada às particularidades nutricionais e a alta gastronomia são as grandes tendências (deliverys, take and Go), e as Dark Kitchens estão em alta também.

O setor alimentício, em geral, foi um dos que não sentiram as quedas da crise econômica. Em 2014, uma pesquisa do Instituto Foodservice Brasil (IFB) afirmou que os brasileiros gastam quase um terço do orçamento em refeições consumidas fora de casa.

(Fonte: Giphy)

A vida de chef é glamorosa

Mito. Existem chefs que são celebridades, mas mesmo eles tiveram que estudar e trabalhar muito antes de chegar aonde estão, e isso significa anos nas funções mais básicas da cozinha, como lavar louça e descascar alimentos.

Quem quer ser profissional na área também precisa estar sempre atualizado, ler muito e fazer cursos sempre que for possível. Conhecer a cultura alimentar e gastronômica de outros países é essencial, e ter experiência em restaurantes no exterior é sempre uma boa vantagem.

Criar um prato e saber harmonizá-lo pode demorar meses, então o chef não trabalha só quando está no restaurante. Além disso, a atividade diária pode significar 8 ou 9 horas em pé, fazendo um pouco de cada função, coordenando a equipe e observando a satisfação dos clientes.

(Fonte: Giphy)

Quem sabe cozinhar está pronto para abrir um restaurante

Mito. Saber, dominar e aplicar corretamente as técnicas culinárias é importante, pois permite que você execute um bom cardápio e prepare os pratos da forma correta. Conhecer bem ingredientes e sua biodisponibilidade faz parte da criação e execução de um bom cardápio também.

Mas abrir um restaurante significa ter que administrá-lo. Ter tino empreendedor, dinheiro para investir e saber gerenciar são características mais importantes para quem quer abrir um negócio nessa área. Formação específica e aplicada que só uma formação superior em gastronomia fornece as ferramentas chaves e essenciais para essa função.

Você pode encontrar um sócio que seja um bom gestor e dar continuidade a esse plano ou se dedicar ao estudo de gestão para ter as ferramentas necessárias para realizar seus sonhos, mas é importante sempre ter o olhar e a formação aplicada à área de gastronomia, que tem particularidades que não são todos os administradores que conhecem bem (fluxo de caixa, fator de correção, fator de cocção, dinâmica operacional de cozinha, entre outras).

A gastronomia é uma área vasta e cheia de possibilidades. Informe-se e estude bastante para descobrir qual delas é a sua cara.

Gostou desse conteúdo? Conheça mais sobre o curso de Tecnologia em Gastronomia.