10 profissões com grandes índices de depressão

Segundo dados do Senado Federal, a depressão é a segunda maior causa de afastamentos do trabalho, perdendo apenas para as Lesões por Esforço Repetitivo (LER). Além de fatores de ordem biológica e química, diversos tipos de situações sociais podem causar ou aprofundar quadros depressivos. 

Cobranças excessivas no trabalho, ansiedade, rotinas exaustivas e exposição a constantes situações de tensão são citadas como causas mais comuns que levam à doença.

Confira algumas profissões e carreiras que aparecem com altos níveis de profissionais sofrendo com o problema. Os dados são da revista estadunidense Health, do Ministério da Previdência Social e do Instituto SWNS.

Policiais e profissionais de segurança

Situações de risco constante contribuem para a depressão. (Fonte: Florian Olivo/Unsplash/Reprodução)
Situações de risco constante contribuem para a depressão. (Fonte: Florian Olivo/Unsplash/Reprodução)

Nas ruas diariamente, policiais e profissionais de segurança integram a lista. Os fatores mais citados são a exposição ao risco constante, jornadas extenuantes, ambiente de violência e pressões hierárquicas no ambiente de trabalho.

Garçons

Esses profissionais também lidam com longas jornadas de trabalho, cansativas pela necessidade de ficar em pé por muitas horas. Além disso, os salários tendem a ser baixos. Clientes grosseiros são agravantes.

Assistentes Sociais

Os profissionais lidam constantemente com situações graves como abuso infantil, violência doméstica, abandono, e com pessoas em situação de rua.

Participar desses cenários de forma rotineira pode levar à depressão. Há um complicador neste caso, o fato de muitos profissionais se sentirem na obrigação de fazer sacrifícios pessoais e constantemente chegar a seu limite físico e mental como uma vocação.

Profissionais de Telemarketing

A alta rotatividade e a exigência de baixa escolaridade no setor fazem com que os salários tendam a ser baixos e que demandas por melhores condições de trabalho sejam respondidas com demissões. 

Além disso, esses profissionais são constantemente maltratados e vivem em ambientes profissionais de muita cobrança para o atingimento de metas.

Profissionais de saúde

Jornada de trabalho esgotante e forte carga emocional fazem parte da rotina de profissionais da saúde. (Fonte: SJ Objio/Unsplash/Reprodução)
Jornada de trabalho esgotante e forte carga emocional fazem parte da rotina de profissionais da saúde. (Fonte: SJ Objio/Unsplash/Reprodução)

Enfermeiros e cuidadores estão entre os mais afetados, com cerca de 11% dos profissionais com algum quadro de depressão. Além dos turnos exaustivos e da necessidade de cumprir plantões seguidos, muitos não têm o reconhecimento devido em suas profissões. Estar em contato constante com a morte e com pessoas em quadro grave de saúde também é um agravante do problema.

Outras categorias que lidam com situações similares também se encaixam. Entre elas, médicos, fisioterapeutas, técnicos em enfermagem e socorristas. Além dos horários muitas vezes sem rotina, jornada longa e extenuante, esses profissionais lidam constantemente com cargas de sentimento muito forte como com a dor de familiares que perdem entes queridos.

Professores

Entre as causas da depressão citadas por esta categoria estão os baixos salários, que levam muitas vezes à necessidade de lecionar em várias escolas, cobranças de direções e equipes pedagógicas, e cobranças de pais de alunos. 

A forte pressão sobre profissionais costuma ser exagerada pela falta de recursos em escolas e a necessidade de gastos pessoais para o ensino.

Artistas e escritores

Nesse caso as principais reclamações são referentes a inconstância nos pagamentos que podem levar a situações de ansiedade. Horas irregulares, isolamento e a necessidade de ser criativo podem levar a quadros de depressão.

Consultores financeiros e contabilistas

A pressão para a categoria se refere a lidar com o dinheiro de vários clientes e estar sujeito a variáveis incontroláveis, como as variações no mercado financeiro. Existe uma cobrança sobre o profissional relativa a fatos que, por vezes, fogem da sua responsabilidade.

Profissionais de apoio administrativo

Área, que inclui funcionários como secretários e atendentes, caracteriza-se por cobrar demais (as cobranças podem vir dos patrões ou dos clientes) e dar pouco poder de resolução.

Assim os funcionários precisam contornar situações, muitas vezes pesadas e de grosserias, enquanto tentam se comunicar com os gerentes ou com quem possa resolver. Além disso, os salários tendem a ser baixos.

Quer potencializar sua carreira? Comece uma pós-graduação no Mackenzie!

Fonte: Minha Vida, ANMT, Guia da Carreira, Terra, Infomoney, Jornal Contábil, Psicologia Viva, Simecat, Veja, Conexa Saúde.

Este conteúdo foi útil para você?

52910cookie-check10 profissões com grandes índices de depressão