Currículo para primeiro emprego: veja como fazer

Fazer o primeiro currículo pode parecer um tanto desafiador. Porém, apesar de nunca ter trabalhado, é possível contemplar informações que vão chamar atenção dos recrutadores e, com isso, alcançar seu objetivo de ser convocado para uma entrevista de emprego. Quer saber como? Confira.

O currículo é a porta de entrada para conquistar o primeiro emprego.
O currículo é a porta de entrada para conquistar o primeiro emprego. (Fonte: Sora Shimazaki/Pexels)

1. Dados pessoais

No início do currículo, é necessário informar seus dados pessoais: nome completo, data de nascimento, endereço com CEP, cidade, celular e e-mail. Era comum antes compartilhar sexo e estado civil, porém já não mais é obrigatório. Se você tiver um perfil no LinkedIn, é recomendado que compartilhe o link.

2. Objetivo

A próxima parte do currículo serve para descrever seu cargo de interesse. Para preenchê-la, primeiro é preciso entender que cada oportunidade de trabalho é única, por isso seu currículo precisa ser personalizado conforme a vaga.

Digamos que esteja na graduação de Jornalismo e buscando um estágio. A faculdade possibilita que atue em diversos segmentos: marketing digital, reportagem, jornalismo esportivo e mais.

Não é aconselhável colocar como objetivo “estágio em qualquer área de Jornalismo”. Geralmente, na descrição da vaga, é possível identificar para qual setor é a vaga e, com isso, você consegue informar em qual deseja estagiar.

3. Resumo de qualificações

Conforme uma pesquisa realizada pela Catho, empresa de recrutamento e seleção, o recrutador leva de 6 a 10 segundos para desconsiderar um currículo para uma entrevista. Ele analisa pontos específicos do material para tomar essa decisão, e o resumo das qualificações é um deles.

Pode-se dizer que o resumo de qualificações é um espaço para aguçar a curiosidade do recrutador para que ele dê maior atenção ao seu currículo e tenha interesse em avançar para as próximas partes, lendo até o final do documento.

Portanto, considere acrescentar nesse tópico as principais habilidades que você tem, aquelas que vão ao encontro do que o recrutador procura. Compartilhe resultados que conquistou em outros locais, como a faculdade ou em um trabalho voluntário.

4. Formação acadêmica

Como o nome já dá a entender, essa parte serve para informar o último grau de escolaridade que tem. Se está na graduação, especifique-a (insira o nome da instituição e do curso, bem como o ano ou a previsão de término dele); se tem Ensino Médio completo, então apresente informações sobre isso.

Erros ortográficos no currículo podem te desclassificar.
Erros ortográficos no currículo podem te desclassificar. (Fonte: CottonBro/Pexels)

5. Experiência profissional

Esse espaço é destinado ao compartilhamento das três últimas experiências profissionais, mas se não tiver nenhuma, não tem problema. Pense em possíveis situações que passou e que foram agregadoras a você.

É possível, por exemplo, compartilhar algo sobre eventos que organizou, trabalhos em empresa júnior ou mesmo no centro acadêmico da sua faculdade, especificando as atribuições e responsabilidades que tinha.

6. Cursos complementares

Se realizou algum curso extracurricular ou de curta duração na área da oportunidade de trabalho, então é nesse momento que deve escrever sobre ele. Lembre-se de informar o nome da instituição, mês e ano de início e término, assim como a carga horária realizada.

7. Idiomas

Caso tenha nível intermediário, avançado ou fluente em algum idioma, é importante mencionar, pois os recrutadores dão muita importância a isso.

8. Informática

Conhecimento em informática é essencial para qualquer área. Então, após informar os idiomas que domina, o próximo passo deve ser compartilhar o nível de entendimento de informática. 

Existe algum programa, site ou software que sua área utiliza e você sabe usar? Especifique-o, caso contrário, descreva o seu nível com os programas básicos. Caso tenha algum curso relacionado a isso, é recomendado especificá-lo, utilizando como padrão a disposição feita na categoria dos cursos complementares.

9. Outras informações

Há mais alguma informação que o recrutador deva saber sobre você? Como experiências internacionais ou trabalhos voluntários? Se sim, essa é a hora de mencioná-las. Só não se esqueça de que essas informações precisam ter relevância para a empresa, como demonstrar alguma qualidade profissional da qual você dispõe. 

Fonte: Catho, G1, Vagas.

Este conteúdo foi útil para você?

50970cookie-checkCurrículo para primeiro emprego: veja como fazer

Cadastre-se na newsletter

E receba conteúdos exclusivos