Conheça os diferentes tipos de terapia

A partir do fim do século XIX e ao longo das décadas seguintes, diferentes formas de analisar e tratar as questões da mente humana surgiram. Diante de um universo de possibilidades, cada pessoa pode precisar de um tipo diferente de tratamento, e de profissionais que sigam abordagens diferentes

Para auxiliar nessa escolha, preparamos esta lista com seis entre as principais linhas terapêuticas. 

1. Psicanálise

Iniciada por Sigmund Freud, é uma abordagem bastante comum. É difícil encontrar profissionais seguindo uma linha puramente freudiana — seus estudos receberam críticas e revisões de teóricos posteriores, então há variações.

A psicanálise é essencialmente baseada na fala e no autoconhecimento. O paciente expõe, de forma livre e aberta, o que está pensando, enquanto o psicanalista intervém com perguntas e o ajuda a fazer associações. Desse modo, o objetivo é trazer as questões do inconsciente para o consciente, permitindo uma melhora geral do paciente. 

Com essas características, a psicanálise é indicada para quem busca autoconhecimento, mas pode ser menos interessante para quem busca resolver questões pontuais com rapidez — um tratamento com psicanalista pode se estender por anos.

A psicanálise é uma das formas mais tradicionais de terapia, mas muito popular até hoje (Imagem: Freepik)
A psicanálise é uma das formas mais tradicionais de terapia. (Fonte: Freepik)

2. Junguiana

A abordagem junguiana foi uma das primeiras “dissidências” da freudiana: Jung era discípulo de Freud, mas desenvolveu o próprio tipo de terapia, a partir de seus estudos.

Nessa linha, a fala continua sendo essencial para o tratamento, que também pode durar meses ou anos. A maior diferença é que o psicoterapeuta se atenta mais aos significados simbólicos que podem ser extraídos das falas do paciente. Há muito foco nos sonhos e seus significados, por exemplo, e o paciente pode ser convidado a fazer desenhos, entre outras atividades.

A psicanálise junguiana presta atenção aos símbolos na fala e nos sonhos do paciente (Imagem: Freepik)
A psicanálise junguiana presta atenção aos símbolos na fala e nos sonhos do paciente. (Fonte: Freepik)

3. TCC (Terapia Cognitivo-Comportamental)

Derivada da linha comportamental da psicologia, trata-se de uma visão bem diferente da psicanálise: em vez dos pensamentos mais profundos, a TCC foca nos problemas e sintomas expostos pelos pacientes. 

Em vista disso, o psicoterapeuta busca auxiliar o paciente nessas questões específicas, falando das crenças que podem estar relacionadas a esse sintoma e oferecendo exercícios para ajudar na mudança. Sendo assim, a TCC costuma durar de 12 a 20 sessões, com resultado mais visível logo de início. 

4. Gestalt-terapia

Esse tipo de terapia dá ênfase total no aqui e agora, mas também analisa o sujeito como parte de um contexto. Desse modo, o psicoterapeuta presta atenção em vários outros detalhes que podem influenciar no tratamento. Além disso, a gestalt utiliza algumas atividades e técnicas estruturadas para auxiliar o paciente na compreensão de seus padrões de pensamento.

Na gestalt terapia, o profissional presta atenção em outros detalhes do contexto do paciente (Fonte: Freepik)
Na gestalt-terapia, o profissional presta atenção em detalhes do contexto do paciente. (Fonte: Freepik)

5. Psicodrama

Uma abordagem mais recente e diferente das outras citadas até aqui, o psicodrama propõe que os pacientes façam encenações de seus problemas. A ideia é que, a partir desse teatro, as questões surjam e as emoções se tornem mais simples de observar. É bastante comum que esse tipo de terapia seja feita em grupos e ela é indicada até para pessoas tímidas, que podem se soltar ou ficar só observando o processo.

No psicodrama, as sessões podem ser em grupo, com encenações dos problemas dos pacientes (Imagem: Freepik)
No psicodrama, as sessões podem ser em grupo, com encenações dos problemas dos pacientes. (Fonte: Freepik)

6. Terapia familiar ou de casal

Inspirando-se em diversas linhas teóricas, esse tipo de terapia foca na relação entre as pessoas que estão buscando o tratamento, visando oferecer mecanismos para resolver problemas que podem estar atrapalhando a convivência. 

A psicoterapia também pode ser realizada em casais ou com famílias (Imagem: prostooleh/Freepik)
A psicoterapia também pode ser realizada em casais ou famílias. (Fonte: prostooleh/Freepik)

Para terminar, é indispensável observar que, além das técnicas, o sucesso de um tratamento de psicoterapia depende da conexão entre profissional e paciente. 

Fonte: Superinteressante, VitalK, Veja Saúde.

Este conteúdo foi útil para você?

51020cookie-checkConheça os diferentes tipos de terapia

Cadastre-se na newsletter

E receba conteúdos exclusivos