Como a autocrítica pode impulsionar sua carreira?

Quer potencializar sua carreira? Comece uma pós-graduação no Mackenzie

Ser confrontado com uma crítica é desconfortável. Mas isso precisa ser um impulso rumo ao seu crescimento e não um movimento que te prenda a uma postura defensiva ou paralise. Desenvolver a autocrítica é um bom caminho para aprender com os erros. Não por acaso, trata-se de uma habilidade importante para sua vida profissional.

O que é autocrítica?

Nossa explicação sobre autocrítica ficou clara? (Fonte: Tenor)
(Fonte: Tenor)

No dicionário, “autocrítica” é ato de “o indivíduo reconhecer as qualidades e os defeitos do próprio caráter ou os erros e acertos de suas ações”. Em outras palavras, mais do que criticar no sentido negativo da palavra, envolve a capacidade de analisar objetivamente seus comportamentos, suas atitudes e seu trabalho, entre outros aspectos da sua vida.

Confira mais dicas para se destacar na carreira

Essa capacidade é especialmente importante para os profissionais que estão crescendo na carreira e assumindo cargos de gestão. Por isso, é importante exercitar a autocrítica desde o início da vida profissional.

Um feedback de você para você

Feedbacks são importantes para saber os aspectos em que você está indo bem e quais precisa melhorar. Então, a autocrítica não deixa de ser uma espécie de feedback que cada pessoa oferece para si mesma.

Com isso, é possível observar outra característica em que essa habilidade auxilia os profissionais: quem sabe fazer autocrítica depende menos do feedback constante de outras pessoas.

Um feedback para si mesmo pode ser importante para o desenvolvimento (Fonte: Tenor)
(Fonte: Tenor)

É nesse sentido, principalmente, que a autocrítica deixa de ser somente negativa para se tornar algo positivo. Afinal, um bom líder não aponta só os defeitos de sua equipe em reuniões de feedback, não é mesmo? Ele também destaca as qualidades e, mesmo quando há um fator negativo, traz sugestões de melhoria.

Como manter a inteligência emocional no ambiente organizacional

Com o “autofeedback” funciona da mesma maneira: além de reconhecer os pontos em que você falha, tente entender como melhorar neles. Também busque compreender o que você tem de positivo no âmbito profissional e o modo que você pode usar isso a seu favor.

O segredo é o equilíbrio

O reconhecimento das falhas deve vir sempre acompanhado de algo positivo, como sugestões de melhoria. Caso contrário, a autocrítica pode se tornar um processo autodestrutivo, em que a pessoa está sempre apontando defeitos e enxergando só o lado ruim do que faz. E ninguém quer isso, certo?

Reconheça também suas qualidades. (Fonte: Tenor)
Reconheça também suas qualidades. (Fonte: Tenor)

Dessa maneira, o segredo está no equilíbrio. É essencial compreender que errar faz parte do processo de aprendizado e que nem mesmo os melhores profissionais são perfeitos ou infalíveis.

Além disso, sempre que você reconhecer um erro, evite se martirizar por tê-lo cometido ou pensar que deveria ter agido de forma diferente. Pense que, depois da autocrítica, você tem infinitas chances de fazer diferente. No fim das contas, o importante é que você está se esforçando para melhorar sempre.

Fonte: Menthes.

Conheça mais sobre os cursos de pós-graduação do Mackenzie

O que achou?
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0