Entre os gêneros textuais, o texto dissertativo-argumentativo é o mais conhecido pelos candidatos ao vestibular. Ele consiste em uma defesa de ideias a partir de argumentos, exemplos e explicações — ou seja, uma dissertação — com o objetivo de convencer quem está lendo com uma argumentação.

Esse é um tipo de texto muito comum nos vestibulares e até o momento é o gênero pedido na redação do Enem. A questão tem a proposta de um tema sobre o qual você deve emitir uma opinião, normalmente relacionado a problemas comuns no Brasil.

Confira algumas características do texto dissertativo-argumentativo e saiba como fazer o seu.

Estrutura

(Fonte: Giphy)

Todos os gêneros textuais têm um tipo específico de estrutura que ajuda quem está escrevendo a se organizar e colocar no papel tudo o que precisa abordar. Veja o que deve estar presente em cada parte.

Introdução

No começo do texto deve ser apresentado o assunto abordado e qual ponto de vista será defendido ao longo da redação. Nesse momento, não é preciso argumentar ou dar exemplos, pois a introdução serve apenas para iniciar o assunto e definir qual será a abordagem.

Nas redações de vestibular ou do Enem, que costumam exigir pelo menos 30 linhas, recomenda-se que a introdução não passe de 6 delas.

Desenvolvimento

É onde se apresentam e se exploram os diversos argumentos que apoiam a abordagem. Essas justificativas devem ser expostas de modo lógico, o que pode ser feito de diversas maneiras:

  • relações de causa e consequência;
  • exposição de pontos positivos e pontos negativos;
  • argumentação principal com diversas explicações auxiliares;
  • exposição de fatos comprovados, dados estatísticos, pesquisas e estudos (dica: em redações de vestibular, os textos de apoio costumam trazer esses dados);
  • citação ou depoimento de figuras renomadas;
  • alusões a fatos históricos, culturais ou consensuais;
  • exemplos fictícios baseados em situações comuns.

Esses tipos de argumentação, quando apresentados de forma lógica e coerente, com uma linguagem clara e incisiva, conferem veracidade ao texto. O objetivo é que você trate o assunto com autoridade e exponha o ponto de vista defendido de forma que seja difícil haver contra-argumentos.

No desenvolvimento, você também pode usar estratégias como perguntas retóricas, referências ou ironias que prendam a atenção do leitor.

Conclusão

A conclusão pode ser feita de duas formas. A primeira é a síntese, retomando de maneira resumida o que foi apresentado, afirmando a veracidade da tese. Nesse caso, é como um desfecho inevitável, já que o autor levou o leitor por esse caminho ao longo do texto.

Já a segunda é a proposta de solução. Nesse caso, é importante sugerir respostas detalhadas, com ações, agentes, meios e objetivos específicos, mostrando que seria possível aplicá-las.

Dicas para o texto dissertativo-argumentativo

(Fonte: Giphy)

Confira algumas dicas para escrever o seu texto dissertativo-argumentativo e tirar uma boa nota na redação do vestibular.

  • Planeje-se com um rascunho antes de começar a escrever, decidindo todos os seus argumentos.
  • Foque primeiro o desenvolvimento, deixando introdução e conclusão para o fim.
  • Aplique os conectores do português, como "porque", "pois", "no entanto", "entretanto", "assim como" etc.;
  • Use sempre a norma padrão da língua portuguesa.
  • Preste atenção aos elementos de coesão e coerência.
  • Respeite as regras da redação, desde o número de linhas até o modo de apresentação dos argumentos.

Com essas dicas e a estrutura em mente, você pode escrever um texto dissertativo-argumentativo convincente que vai garantir uma boa nota no vestibular.