Quer potencializar sua carreira? Comece uma pós-graduação no Mackenzie

Na época do vestibular, quando é necessário escolher o futuro profissional, ou durante e depois da universidade, quando estágios e empregos direcionam a carreira no sentido desejado, é comum que surja uma dúvida: é mais interessante partir para o mercado empresarial ou dar aulas e realizar pesquisas?

Conheça um pouco mais sobre esses caminhos e saiba como planejar sua carreira. É possível que você goste tanto dessas opções que opte por conciliá-las.

Mercado

(Fonte: Giphy)

No Brasil e na maior parte dos países, há três tipos de graduação: licenciatura, bacharelado e tecnologia. É importante conhecer as características de cada uma delas, porque direcionam a trajetória profissional.

Licenciaturas são voltadas para formar profissionais para lecionar nos ciclos da Educação Básica: infantil, fundamental e médio. Para atuar do primeiro ciclo até o 5º ano do Ensino Fundamental, deve-se cursar Pedagogia; a partir do 6º ano do Fundamental, o estudante tem professores especializados até finalizar o Ensino Médio.

Para cada disciplina, há um curso específico: para dar aula de Português, deve-se optar pela licenciatura em Português, e o mesmo vale para outras áreas, como Matemática, Geografia, Biologia etc.

Os cursos de bacharelado não habilitam para dar aulas porque, em vez de conteúdos ligados à educação, aprofundam o estudo no campo acadêmico. Por exemplo, um bacharel em Letras não pode dar aula para os ensinos Fundamental e Médio, mas pode cursar disciplinas que o habilitem para atuações específicas, como tradução e revisão textual. Esse tipo de curso corresponde à maior parte das graduações mais tradicionais, como Medicina, Direito e Engenharia.

Já os cursos superiores de tecnologia são conhecidos por uma formação mais rápida e voltada a gerar mão de obra especializada. Ao passo que um engenheiro civil costuma levar 5 anos para concluir seu bacharelado, um tecnólogo em construção civil pode concluir a graduação em menos tempo, embora não alcance as mesmas habilitações profissionais, como assinar projetos.

Uma dica: não confunda os cursos superiores em tecnologia com os cursos técnicos de nível médio. Quando procurar uma graduação, saiba que os cursos de tecnologia são considerados formações superiores tanto quanto licenciaturas e bacharelados.

Sala de aula

(Fonte: Giphy)

Se apenas os licenciados podem dar aula na Educação Básica, como funciona a habilitação para atuar no ensino superior? Na maior parte dos casos, a legislação pede apenas a graduação, mas o mercado é mais exigente, e os professores universitários costumam ser pesquisadores especialistas, que conciliam as atividades de ensino e pesquisa.

Além disso, é possível que cada ramo do conhecimento produza as próprias regras. Embora um médico com doutorado em Cardiologia possa dar aulas para residentes em ginecologia e obstetrícia, isso não ocorre do ponto de vista formal, porque ele não é habilitado a oferecer a formação necessária a novos especialistas.

Da mesma forma, um bacharel em Direito com doutorado em Criminologia pode formalmente dar aulas na disciplina de Direito Civil, mas é provável que não domine o conteúdo.

Se o seu desejo é lecionar no ensino superior e formar profissionais, escolha entre dois caminhos: a área acadêmica (licenciados, bacharéis e tecnólogos podem fazer mestrado e doutorado e se preparar para a vida universitária) ou aulas ligadas diretamente à área de atuação profissional.

Diversas universidades optam por mesclar o corpo docente com pesquisadores de carreira acadêmica mais densa, com conhecimento científico, e profissionais que entram em sala de aula para ensinar a partir de sua expertise no mercado. Isso garante ao estudante uma formação ao mesmo tempo sólida e versátil, que o prepara para os desafios reais do mundo do trabalho e aumenta a chance de empregabilidade.

Fonte: Via Carreira, Galileu e Ietec.

Conheça mais sobre os cursos de pós-graduação do Mackenzie