O Universo é composto por matéria, certo? Então, se considerarmos que os químicos — engenheiros ou não — se ocupam de transformar a matéria e de desenvolver os processos necessários para isso, imagine as possibilidades de atuação desses profissionais!

A engenharia química, em específico, está entre as profissões mais versáteis da atualidade; a seguir, você poderá conferir algumas das principais atividades desempenhadas pelos profissionais dessa área.

Quem são?

(Fonte: Giphy)

Em linhas gerais, os engenheiros químicos são responsáveis por criar e desenvolver processos para sintetizar, combinar, transformar e transportar os mais variados materiais, bem como melhorar as técnicas existentes de forma a tornar o uso e a gestão de recursos e matérias-primas o mais eficiente possível. Esses profissionais também garantem que todas essas atividades sejam executadas de forma segura, sem causar danos ao meio ambiente, às pessoas envolvidas no processo de produção e à população.

O foco da atividade está em encontrar maneiras de tornar a fabricação dos mais variados produtos mais rentável e sustentável, e os engenheiros químicos podem atuar — em cooperação com profissionais de outras áreas — no desenvolvimento e na operação de maquinários, plantas de produção e processos industriais, assim como na criação de novos materiais ou na otimização dos já existentes para que eles sejam usados na fabricação de diferentes produtos.

Áreas de atuação

(Fonte: Giphy)

Embora as indústrias química, petroquímica, farmacêutica, cosmética e de alimentos tradicionalmente empreguem muitos engenheiros químicos, existem outras áreas de atuação. O leque de opções vem se abrindo bastante para esses profissionais, com oportunidades surgindo nas áreas de biotecnologia, meio ambiente, desenvolvimento de novos materiais, energia e combustíveis sustentáveis, eletrônicos etc.

A indústria química provavelmente é a que oferece a maior gama de opções de atuação para os engenheiros químicos, englobando processos focados em síntese, extração, isolamento, combinação e uso de elementos ou compostos químicos e seus subprodutos que, depois, são utilizados nas mais variadas indústrias — que também contratam engenheiros químicos.

Os profissionais que atuam na indústria química podem, por exemplo, trabalhar na investigação e no desenvolvimento de novos polímeros com propriedades mecânicas, ópticas ou elétricas específicas, na criação de resinas e fibras sintéticas, na melhoria de produtos derivados do petróleo e na pesquisa para a obtenção de compostos mais seguros para serem usados na agricultura, na fabricação de medicamentos, de cosméticos ou na produção de alimentos, para citar alguns setores.

Na indústria energética e de combustíveis, os engenheiros químicos podem atuar na pesquisa e no desenvolvimento de combustíveis sintéticos e de fontes alternativas de energia, incluindo a nuclear, assim como nos processos de produção, segurança, refinaria e monitoramento ambiental.

(Fonte: Giphy)

Já na indústria de alimentos, o papel dos engenheiros químicos é desenvolver novos produtos para atender às demandas de mercado, mudar ingredientes para aprimorar sabor, textura, consistência e composição de alimentos industrializados, criar processos alternativos para aumentar a vida útil dos produtos, propor melhores formas de consumo, manuseio e armazenagem, otimizar embalagens, tornar o processo de produção mais eficiente etc.

Na área de biotecnologia, os engenheiros químicos geralmente trabalham com materiais orgânicos, como células vivas ou substâncias produzidas por elas, e com técnicas biológicas para criar novos produtos que possam ser utilizados em outras indústrias. Exemplos de atuação desses profissionais na área de biotecnologia são pesquisa de materiais para a indústria farmacêutica, criação de dispositivos médicos e desenvolvimento de processos de produção que utilizem microrganismos e enzimas para a síntese de novos medicamentos.

(Fonte: Giphy)

Com relação à área ambiental, os engenheiros químicos podem, por exemplo, desenvolver processos para minimizar ou tornar inativos resíduos que sejam prejudiciais ao meio ambiente e atuar para minimizar o desperdício através de processos de monitoramento e controle. Já na indústria de eletrônicos, os profissionais podem atuar na síntese e produção de novos materiais e contribuir para o desenvolvimento de condutores, semicondutores e componentes que dissipem melhor o calor e operem de forma mais eficiente e rápida.

Como se fosse pouco, os engenheiros químicos ainda podem trabalhar com controle de qualidade, na metalurgia, nas indústrias automotiva, aeroespacial, fotográfica, cerâmica, de nanotecnologia e muito mais. As possibilidades de atuação são muitas, mas, para desempenhar bem a função, esses profissionais devem ter uma compreensão bastante ampla dos princípios científicos — química, física, matemática e economia — aliados aos da engenharia; portanto, para ter sucesso, é vital que eles tenham uma formação sólida e de qualidade.