Se você curte Ciências Exatas e vive tentando tirar ideias do papel, é bem provável que já tenha recebido pelo menos uma recomendação para ser engenheiro. Mas aí surge a dúvida: qual dos setores seguir? Apesar de áreas como Civil serem bastante populares, é possível atuar em muitas carreiras diferentes com esse título, incluindo algumas pouco conhecidas, mas que também têm seu valor e garante um lugar ao sol no mercado de trabalho.

Confira aqui um resumo dos principais tipos de Engenharia presentes no mercado brasileiro e veja qual combina mais com o seu perfil!

Engenharia Civil: um dos setores mais conhecidos quando o assunto é Engenharia, a área de Civil trata do gerenciamento e do planejamento de obras, incluindo casas, prédios, pontes e outras construções. O profissional é responsável também pela fiscalização e tem de garantir que tudo fique nos conformes no final da obra, o que garante ainda mais responsabilidade para o cargo.

(Imagem: Reprodução/Estado de Minas - Educa Mais Brasil)

Engenharia de Materiais: um dos segmentos mais conhecidos na área, é responsável pela pesquisa de materiais e novos usos na indústria para a concepção de produtos e serviços. Além disso, o engenheiro deve conceber diferentes aplicações para matérias-primas já existentes, como cerâmicas, metais e polímeros. Ou seja, para seguir esse caminho, é essencial gostar de trabalhar em laboratórios. Como o sudeste possui grandes pólos de metalúrgica e minas e energia, a região é um dos locais que acaba mais empregando os profissionais desse setor.

Engenharia Elétrica: é a engenharia que cuida dos processos que envolvem energia, indo desde procedimentos de geração e transmissão até a chegada aos consumidores. Também conta com algumas áreas mais específicas, como a eletromecânica, que lida com componentes que trabalham na conversão de energia elétrica e mecânica. Até 2024, o governo brasileiro deve investir até R$ 1,4 trilhão no desenvolvimento de fontes de energia, o que deve aquecer o mercado de trabalho para os profissionais da área.

Engenharia Mecânica/Mecatrônica: É a divisão que lida com a manutenção, a supervisão e o desenvolvimento de máquinas e equipamentos de várias áreas da indústria. O profissional pode trabalhar em diferentes setores; basta se aprofundar em uma das áreas de conhecimento. Um dos caminhos possíveis é a área de mecatrônica, voltada ao desenvolvimento da automação industrial por meio da criação de tecnologias como robôs e inteligências artificiais. Além de produzir máquinas que facilitam a vida dos humanos, esse engenheiro trabalha na manutenção delas para garantir que tudo esteja funcionando corretamente.

(Imagem: Reprodução/Senge)

Engenharia de Produção: profissão que visa encontrar formas de melhorar a produtividade e a renda de um negócio. Para alcançar o objetivo, o especialista nessa área precisa fazer análises de dados com base nas informações da empresa e da indústria. É uma figura decisiva em muitos negócios de grande porte, já que pode conseguir fazer grandes cortes no orçamento simplesmente usando seu conhecimento. Outro ponto interessante da área é sua abrangência: como a engenharia de produção está ligada ao setor empresarial, praticamente todo negócio pode acabar precisando de um profissional do setor. Além de poder atuar e forma mais aberta, esse engenheiro também pode acabar se especializando em certas áreas, o que eventualmente garante salários maiores. Para quem gosta de desafios e é bom em resolver problemas, com certeza essa é uma carreira para se considerar.

E aí, conseguiu se encontrar em meio a tantas opções de engenharia? Agora é só se preparar e escolher uma delas para cursar. Comente qual carreira você pretende seguir!