Renovar o ambiente da sala de aula pode ajudar a estimular o aprendizado das crianças, atrair o interesse da turma e, também, desenvolver e trabalhar diferentes sentimentos e habilidades como surpresa, flexibilidade, capacidade de adaptação, mudanças de ponto de vista etc. Vale destacar que toda configuração proposta para a sala de aula deve estar vinculada à atividade que o professor pretende trabalhar com os alunos. Em outras palavras, todo novo arranjo do espaço, na Educação Infantil, deve ter uma intencionalidade educativa.

Na mesa ou no chão?

Ao iniciar o dia, o professor da Educação Infantil geralmente faz uma roda no chão com os alunos, de modo que todos possam ouvir e falar, saber como será a rotina do dia, ver se todos os alunos chegaram, enfim, o professor propõe uma roda de conversa e acolhimento que não deve durar mais do que 10   15 minutos.

Porém, intercalar atividades nas mesinhas e atividades no chão pode proporcionar mais prazer e estabilidade à criança da Educação Infantil, visto que no chão ela se movimenta melhor ou com mais espaço. Assim, quanto menor a criança, mais atividades devem ser desenvolvidas no chão – e não necessariamente em roda.

Seguem alguns exemplos de atividades que podem ser realizadas no chão:

• atividades coletivas de pintura;

• montagens com blocos, quebra cabeças, jogos de encaixe, alinhavo ou outros jogos;

• atividades com instrumentos musicais e atividades típicas de musicalização;

• leitura de livros;

• roda da história, roda da conversa, além de outras rodas.

Mesmo com alunos maiores (de 6 a 8 anos), o chão pode ser usado, nem que, para isso, o professor tenha de levá los para fora da sala de aula. Às vezes, por falta de espaço na sala, as rodas de conversa, de história, além de atividades livres de desenho, pintura, jogos e com brinquedos podem ser desenvolvidas no pátio da escola, por exemplo.

O mural da sala

O uso do espaço da parede pode ajudar a criança a acompanhar como será a rotina do dia, observar o nome dos amigos que estão presentes e ausentes, verificar quantos dias faltam para determinado evento, além de ajudá la no processo de ensino aprendizagem de conteúdos que estão sendo trabalhados no material didático, por exemplo.

Alguns itens são fundamentais nas paredes de uma sala de aula e ajudam a estimular o aprendizado das crianças, especialmente na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental. À medida que a criança cresce, os estímulos devem também mudar – e quadros com numerais de um a nove podem ser substituídos por mapas, esquemas e outros importantes elementos visuais para a aprendizagem.

Outro atrativo para as paredes da sala são os murais rotativos – que mudam conforme o tema trabalhado naquela semana ou naquele mês, por exemplo, a entrada de uma estação do ano, o contexto de uma história lida, uma data comemorativa etc. Os murais podem e devem ser feitos com a ajuda dos próprios alunos, com elementos confeccionados por eles, para que configure, dessa forma, uma obra coletiva.

Quadro negro ou quadro branco?

Apesar de toda a tecnologia presente hoje em dia nas salas de aula, a lousa continua sendo um instrumento muito importante, uma vez que seu uso é dinâmico e pontual.

Recomendamos que as salas de aula tenham, se possível, duas lousas – o quadro negro na altura dos alunos, para atividades dirigidas, e o quadro branco, para o profes¬sor utilizar nas práticas de tematização / análise / sistematização e avaliação.

O quadro negro é, em geral, mais indicado para a criança porque o giz sai mais fácil da mão dela do que a tinta da caneta do quadro branco.

Diferentes configurações da sala de aula

É importante pensar as configurações da sua sala de aula, de tal forma que ela seja constantemente organizada para atrair o interesse das crianças e, também, dialogar como que elas estão aprendendo ou, em breve, aprenderão. A seguir, algumas ideias de arranjos do espaço da sala de aula.

Configuração da sala de aula em fileiras

Essa posição privilegia a concentração do aluno naquilo que está fazendo, e é muito boa para atividades essencialmente individuais.

Configuração da sala de aula em meia-lua (carteiras dispostas em U invertido)

Com essa disposição, abre se um enorme espaço na sala de aula, por onde o professor pode circular livremente, e onde as crianças podem fazer a roda ou outras atividades usando o chão. Esse formato da sala de aula privilegia, ainda, as atividades de debate e as discussão de ideias.

Configuração da sala de aula em grupos (4, 5 ou 6 alunos)

O formato em grupos é ideal para atividades coletivas, como montagem de cartazes, jogos etc., para trabalhos de arte em geral (pintura, massinha, desenho, colagem) e para compartilhamento de livros, gibis, brinquedos de montar etc. Também é perfeito para a hora do lanche.

Lembre-se de não deixar os alunos de costas para a lousa, no caso de o professor precisar mostrar alguma coisa no quadro ou na tela.

Configuração da sala de aula em dupla

O formato em dupla possibilita ao aluno ter um colega ao lado para dividir o material, trocar ideias sobre a atividade que está sendo realizada, compartilhar um momento de lanche. Além disso, com as mesas dispostas em duplas, os corredores ficam mais espaçados e a sala de aula parece até maior.

Configuração da sala de aula em formato cineminha

Para o formato cineminha, os alunos devem trazer suas cadeiras para a frente da sala e colocá las lado a lado, no formato de meia lua, ou então, se não houver espaço, formando duas linhas retas com as carteiras intercaladas nos vãos (para que a cabeça da criança que está na frente não cubra a visão de quem está atrás).

O formato cineminha pode ser usado para o professor trazer as crianças mais perto da lousa, para uma explicação, uma história, um filme projetado etc.

As configurações da sala de aula não envolvem somente as mesas

Uma ideia de configuração na sala de aula é, por exemplo, organizar uma pequena biblioteca. O professor pode escolher de 10 a 20 livros para ficarem no máximo por um mês naquele espaço. Depois, ele deve trocar os livros por outros, e repetir os primeiros somente depois de um tempo, para que as crianças tenham prazer em revê los. Isso vale para os jogos, almanaques e brinquedos.

A mesa lógica pode ser organizada para configuração de estudos de Matemática, experiências científicas, projetos artísticos, aulas de música etc. Para configurar atividades no chão, o professor pode trabalhar com um tapete de EVA.

Por fim, cabe ao professor da Educação Infantil o desafio de aproveitar o espaço da sala de aula com intencionalidade educativa, objetivando sempre estimular o aprendizado das crianças, além de fazer com que o mesmo ambiente pareça um local novo e diferente daquele que era dias atrás.

Gostou deste conteúdo? Leia mais sobre gestão pedagógica.