Os resultados nas provas, notas e listas de aprovação são decisivos, mas é a fase pré-vestibular que pode definir o desempenho de um aluno nos testes para garantir uma vaga no ensino superior e iniciar a sua vida acadêmica. A adolescência é sempre um período de amadurecimento, que provoca sentimentos como ansiedade e grandes expectativas. Ter o apoio dos pais e a família por perto nessa fase é fundamental, pois geram um impacto direto e positivo na vida do estudante.

(Fonte: Giphy)

Como pais, com idade avançada e alguns anos longe da escola, pode ser difícil encontrar uma forma prática de auxiliar os filhos. Mas não é preciso entender a fundo as matérias das disciplinas específicas nem ajudá-los com os exercícios. O mais importante é se manter presente e, claro, evitar o que possa atrapalhar a rotina de concentração até os exames.

A hora da prova é realmente um momento solitário, assim como a maior parte do tempo de estudo. Contudo, os pais podem e devem ajudar os filhos durante a fase pré-vestibular. A preparação acompanha uma carga extra de estresse, que pode levar todo o esforço direto por água abaixo. Afinal, o que fazer para amenizar os sintomas?

1) Pegue leve na cobrança

(Fonte: Giphy)

Pais também sonham e criam expectativas sobre a iniciação profissional da sua prole; porém, se querem que os filhos tenham bom resultado, devem evitar que essa preocupação se torne excessiva e tome a forma de uma pressão exagerada, o que faz com que muitos estudantes se sintam sufocados e entrem em pânico com medo do fracasso. Já pensou em trocar cobrança por estímulo e incentivo? Seja um bom orientador.

2) Cada um tem um caminho

(Fonte: Giphy)

Dividir as suas experiências com seus filhos certamente será um fator positivo. Entender que todos podem passar pelas mesmas dificuldades é ótimo. Contudo, cada um tem um caminho a seguir, e respeitar as escolhas profissionais, por exemplo, é determinante. Em geral, as famílias costumam querer que os estudantes busquem uma carreira de prestígio ou sigam os mesmos passos do pai ou da mãe. Porém, conhecer o desejo dos filhos e apoiá-los os ajuda a fazer escolhas baseadas em seus desejos de realização, para que não se frustrem no futuro. Em caso de incertezas, procure um profissional de orientação vocacional e auxilie seu filho a definir como serão os seus próximos passos.

3) Rotina é importante

(Fonte: Giphy)

Seu filho vai precisar estabelecer e seguir uma rotina de estudo. E você pode cuidar para que ele não se perca nos horários, não pule refeições, não se esqueça de suas aulas de reforço, testes preparatórios e qualquer outro evento que envolva o pré-vestibular. Garantir uma carona, deixar um lanche pronto e manter a agenda em dia pode parecer simples, mas faz uma enorme diferença. Pense também a respeito dos fins de semana, pois será preciso descansar a mente. Incentivá-lo a se divertir vai ajudá-lo a manter uma boa saúde mental.

4) Esteja disponível

(Fonte: Giphy)

Algumas pessoas são mais reservadas e têm o hábito de “não querer atrapalhar”. Principalmente se sabem que os pais estão ocupados com as suas próprias rotinas profissionais ou com o cuidado envolvendo a casa e os outros irmãos. Diante disso, mostrar-se disponível pode quebrar essa barreira inicial: tire dúvidas sobre algum conteúdo que domine; ofereça-se para revisar leituras juntos; se possível, dê apoio financeiro com cursinho e aulas extras; ou simplesmente seja um bom ombro amigo nos momentos mais difíceis em que seu filho precise só desabafar.

5) Estabilidade no lar

(Fonte: Giphy)

O ambiente doméstico em que o adolescente está inserido terá influência em seu equilíbrio emocional durante os estudos e os dias de provas. A estabilidade emocional dos candidatos está diretamente ligada à capacidade de concentração. Sendo assim, é preciso que a sua casa seja um lugar tranquilo e seguro, que não vá tirá-lo do seu eixo nem desviá-lo para conflitos e disputas de atenção. Evitem brigas desnecessárias e tentem fazer pelo menos uma refeição todos juntos, para conversar e manter um bom relacionamento familiar.

Bônus: o dia da prova

(Fonte: Giphy)

Tudo isso deve ser mantido no “Dia D”. Não deixe o estudante passar a noite em claro revisando conteúdos na véspera da prova, sem dormir, com alto grau de ansiedade. Distraia e garanta uma longa e relaxada noite de sono, alimentação adequada pela manhã (sem exageros ou comidas pesadas), e o ajude a preparar e levar lanche e água para a prova, assim como seus materiais de papelaria. Organizem-se para irem juntos ao local dos testes, se assim preferirem. E, se a expectativa quanto à nota não for muito positiva, permaneça ao lado do seu filho e mostre o valor do seu esforço nos últimos meses.