A citologia é o ramo da biologia que estuda as células e o seu funcionamento. A célula, por sua vez, é a unidade morfológica e fisiológica dos seres vivos. Esse conhecimento é a base para classificar e estudar a diversidade de seres vivos, sendo fundamental para que o estudante possa compreender outros tópicos da biologia. Devido à sua importância, é um assunto que não pode deixar de ser aprofundado por quem está se dedicando ao vestibular. Neste texto você vai conferir os principais tópicos de citologia cobrados nas provas. Assim, você pode organizar melhor os seus estudos sobre o tema. Vamos lá?

Em 1665, o pesquisador inglês Robert Hook, a partir de experimentos com cortiça, foi o primeiro a observar uma célula. Por meio do uso do microscópio, ele descobriu que esse material possuía uma baixa densidade pelo fato de ser constituído de minúsculas caixinhas: as células.

Mais tarde, com o aperfeiçoamento dos microscópios, foram descobertos o citoplasma (material gelatinoso contido no interior da célula), a membrana plasmática nas células animais e a parede celular nas células vegetais. Nessa mesma época, constatou-se também a existência do núcleo celular.

Entre 1838 e 1839, os pesquisadores Schleiden e Schwann concluíram que plantas e animais tinham células — constatação que deu origem à teoria celular.

As organelas e suas funções

(Fonte: Gifimages)

Dentro das células estão presentes diversas estruturas menores com funções metabólicas específicas. Esses pequenos “órgãos” são denominados organelas. Abaixo, você pode conferir algumas dentre as importantes organelas e conhecer suas respectivas funções.

Membrana plasmática: é um envoltório que reveste e protege a célula. É capaz de selecionar o que entra e o que sai da célula graças à sua permeabilidade seletiva;

Núcleo: tem a função de armazenar toda a informação genética e regular as funções químicas da célula. Classificam-se em eucariontes (com núcleo definido) e procariontes (núcleo não definido);

Ribossomos: responsáveis pela produção de proteínas, importantes para o metabolismo celular e do organismo;

Centríolos: ajudam na divisão celular, além de possibilitar a movimentação da célula através dos cílios e flagelos;

Retículo endoplasmático: conjunto de sacos e tubos responsáveis pela síntese e pelo transporte de algumas substâncias. Existem o retículo endoplasmático liso e o retículo endoplasmático rugoso;

Complexo de Golgi: sua principal função é a secreção de proteínas produzidas no retículo endoplasmático rugoso;

Mitocôndria: responsável pela realização da respiração celular.

A respiração celular

(Fonte: Shutterstock)‌‌

A respiração é o processo em que ocorre a síntese de ATP (trifosfato de adenosina), uma molécula que fornece energia para suprir as necessidades do organismo. Pode ser aeróbica ou anaeróbica, ou seja, com ou sem oxigênio.

A respiração aeróbica acontece em três etapas: a glicólise, o ciclo de Krebs e a fosforilação oxidativa. Nesse processo, há a quebra da molécula de glicose obtida pelas plantas por meio da fotossíntese e pelos animais por meio da alimentação. A partir daí, diversas reações ocorrem para a oxidação da glicose e a sua transformação final em gás carbônico, água e moléculas de ATP (energia).

Na respiração anaeróbica, geralmente a energia é obtida a partir de processos de fermentação, visto que alguns organismos vivem em ambientes restritos e não têm as organelas necessárias para a respiração aeróbica.

Divisão celular

(Fonte: Shutterstock)

A divisão celular ocorre quando a célula-mãe dá origem a células-filhas, sendo um processo complexo e fundamental para a manutenção da vida dos organismos. Existem dois tipos de divisão celular: a mitose e a meiose. Na primeira, são originadas duas células idênticas à célula-mãe, contendo o mesmo número de cromossomos. Acontece na maioria das células do corpo, como na regeneração de tecidos.

Já na meiose, ocorrem duas divisões celulares que originam quatro células com a metade do material genético da célula-mãe. São células diferentes da célula-mãe e estão relacionadas à formação de gametas e à reprodução sexuada.

Agora que você tem em mãos os principais conteúdos sobre citologia para o vestibular, já pode começar a se dedicar ao estudo mais aprofundado e fazer exercícios para colocar em prática seus conhecimentos e caprichar nas provas de Biologia!

Confira mais dicas para se dar bem no vestibular