Sempre há uma hora em que aquela pergunta surge – uma que costuma definir boa parte do nosso futuro: qual profissão escolher? Claro que isso é só a ponta do iceberg. “Seguir o que dá mais dinheiro ou o meu sonho?” e “apostar em um mercado seguro ou me arriscar em uma área com potencial de crescimento?” são apenas algumas das dúvidas que costumam surgir logo depois.

Para completar a situação, a pressão dos pais enquanto o jovem está concluindo o ensino médio costuma dar pouco espaço ou tempo para ele realmente analisar suas opções da maneira adequada. Junte a isso altas taxas de desemprego no país, e o resultado é praticamente óbvio: a grande maioria dos jovens não sabe o que escolher ou acaba se arrependendo da decisão original.

Felizmente, algumas dicas podem fazer toda a diferença para ajudar você a definir o caminho mais apropriado. Confira:

Autoconhecimento é a chave...

(Fonte: Giphy)

Antes de tudo, vamos constatar o óbvio e dizer que você é quem realmente sabe o que gostaria de fazer. Logo, não adianta ceder à pressão de outras pessoas e escolher uma carreira só porque “é o que todo mundo de sucesso faz” ou porque é o que seus pais sempre sonharam.

Da mesma maneira, conhecer suas habilidades – e os limites delas – pode ajudar muito na hora de decidir quais caminhos seguir na vida e de quais passar longe. Contudo, ainda mais importante é saber quais são seus valores: enquanto sempre é possível evoluir suas capacidades, trabalhar em algo que vai contra o que você acredita é um atestado para que as coisas não deem certo.

... E estar preparado também

(Fonte: Giphy)

Isso não significa, porém, que você não precise se esforçar um pouco para melhorar suas chances de uma escolha eficiente. A dica é começar tendo o maior contato possível com todas as opções de trabalho que existem ao redor. Quando encontrar algo que for especialmente interessante para você, tente se aprofundar no assunto e em descobrir como é o dia a dia naquela área; conversar com um profissional, seja ao vivo ou mesmo pelas redes sociais, pode fazer muita diferença para concluir se vale ou não investir na área.

Aproveitando, não adianta muito estudar suas opções e achar a profissão que você deseja seguir, mas não pensar em como chegar lá. Traçar um plano é essencial, incluindo os cursos que deseja fazer para alcançar isso.

Faça o que você ama, mas ame o que você faz

(Fonte: Giphy)

Como comentamos antes, fazer algo de que você gosta é extremamente importante – afinal, é raro alguém não desistir depois de passar muito tempo trabalhando no que odeia. Mas será que é possível encontrar um emprego em que façamos apenas o que gostamos? Difícil.

Não adianta pensar que você vai ter somente alegrias no trabalho. Então, a dica é procurar algo com que tenha afinidades, mas estar aberto a novos aprendizados e a gostar deles. Do contrário, torna-se difícil aguentar o dia a dia.

Já pensou em um teste vocacional?

(Fonte: Giphy)

Se você já seguiu todas as dicas acima, pesquisou o mercado e as possibilidades, mas ainda assim não encontrou algo que se encaixe no que deseja seguir de carreira, existem também vários testes vocacionais disponíveis online. Eles avaliam sua personalidade, suas habilidades e seus objetivos e, a partir disso, sugerem possíveis opções.

Em alguns casos, há ainda a opção de contratar um coach vocacional. Como o nome entrega, trata-se de um profissional cujo trabalho é justamente ajudar você a encontrar sua profissão dos sonhos – ou ao menos aquela que seja mais próxima de suas habilidades e seus gostos. É um investimento? Sim. Mas é melhor do que escolher algo que possa gerar arrependimentos.

Novos começos existem, sim

(Fonte: Giphy)

Para finalizar nossas dicas, vale deixar o lembrete mais importante (mas do qual muita gente se esquece): mesmo que você acabe escolhendo a carreira errada, nada o impede de tentar de novo. Obviamente, muitos vão enfrentar novos desafios com essa medida – incluindo a necessidade de conciliar estudos e trabalho.

Além disso, o conhecimento adquirido ao longo da primeira tentativa de carreira não vai simplesmente se perder; inclusive, ele pode fazer toda a diferença para destacá-lo no novo mercado. Então, não tenha medo de novos começos.