Quem precisa estudar para provas ou realizar muitas tarefas durante o dia sabe bem como é lidar com a distração e a falta de concentração. Muitas vezes, quanto maior é a lista de coisas a fazer ou a pressão para passar no vestibular, por exemplo, pior é a capacidade de foco — e a bola de neve só aumenta. Quando a leitura flui, o celular toca, as redes sociais chamam e até aqueles sites que nunca têm nada de interessante começam a ter matérias super legais.

Mas existe um método que pode resolver essa questão de um modo simples e prático: a Técnica Pomodoro. A ideia é quebrar grandes tarefas em pequenas ações e ter um tempo determinado para realizá-las, incluindo pausas para oxigenar o cérebro. Quando se trata de gestão de tempo e tarefas, é comum achar que é preciso sentar em frente ao livro ou computador durante horas a fio sem se mexer, porém, na verdade, parar estrategicamente pode aumentar a produtividade e fazer com que mais seja feito em menos tempo.

(Fonte: Giphy)

Como funciona a Técnica Pomodoro

Criado pelo italiano Francesco Cirillo no fim da década de 1980, o método sugere que dividir o trabalho ou estudo em blocos de 25 minutos de concentração e 5 minutos de descanso otimiza o desempenho e o bem-estar. Para começar a usar a técnica é importante ter uma lista de tarefas que podem ser realizadas durante o prazo estipulado e também um cronômetro para marcar o tempo de concentração e de pausa.

(Fonte: Giphy)

Durante 25 minutos, é essencial ignorar as distrações. Então feche o Facebook, deixe o celular no silencioso e, se surgirem ideias ou lembranças de outras coisas que precisem ser realizadas, faça uma anotação. O objetivo é focar uma tarefa durante esse breve período para que ela seja realizada o mais rápido possível. Quando o cronômetro apita, a recompensa é ter algo finalizado com sucesso e um item a menos na lista de tarefas.

O ideal é que, no momento de descanso, você se levante, estique as pernas, tome uma água e então volte ao posto de trabalho. Cada período de concentração é chamado de pomodoro; depois de quatro pomodoros, é recomendado que seja feita uma pausa longa, de cerca de 30 minutos.

Após muita pesquisa, Cirillo chegou a uma média de tempo que permite que as distrações sejam deixadas de lado, mas sem ignorar por completo a necessidade de interação que todo ser humano tem. O foco é estimular o senso de urgência, aquele que vem quando o prazo está acabando, e aí as coisas começam a realmente funcionar. Ao determinar prazos curtos, as chances de realização são bem maiores.

Por que Pomodoro?

O nome Pomodoro significa tomate, em italiano. Além de o criador da técnica ser do país onde se fala com as mãos, o método ganhou esse nome porque o cronômetro usado para gerenciar o tempo era daqueles de cozinha e tinha formato de tomate.

(Fonte: Giphy)

Mas é possível?

Sem enrolação, a resposta é “sim”! É claro que, no começo, é bem possível que seja difícil se manter concentrado por 25 minutos sem interrupções. Estamos muito acostumados a fazer mil coisas ao mesmo tempo e a usar três telas sem nem perceber. Mas, como tudo na vida, com a prática vem a perfeição.

(Fonte: Giphy)

Ao insistir na técnica, você verá que seu cérebro se acostumará a se concentrar por mais tempo. Também é importante lembrar que ver a lista de tarefas ou a quantidade de material a ser estudado diminuir é uma excelente recompensa, e essa sensação de realização e de bem-estar é extremamente estimulante.

Uma dica importante: existem diversos aplicativos e sites que podem ajudar a controlar o tempo usando a Técnica Pomodoro. Para quem quiser testar direto no computador, a sugestão é o https://pomodoro-tracker.com/. No smartphone existem diversas opções também: o Meu Pomodoro, disponível na Apple Store e o Pomodoro Timer, disponível no Google Play. Teste o que melhor funciona para você e mãos à obra!

Este texto foi escrito utilizando o método e durou apenas dois pomodoros.