O momento de inserção no mercado de trabalho é desafiador para profissionais de qualquer área. De acordo com a SEMESP (Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo), os 5 cursos mais procurados de 2019 são: Direito, Medicina, Psicologia, Administração e Enfermagem. Essa lista, no entanto, não exclui outros cursos (mantenha seus leques abertos!). Por exemplo, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), o mercado da engenharia depara-se com 20 mil novos profissionais anualmente.

Nenhuma graduação, no entanto, ensina todos os pormenores que a prática exige. Por esse motivo, muitos universitários se questionam se estão realmente aptos a encarar o mercado. Diante dessa dúvida, reunimos algumas dicas preciosas que irão te ajudar a superar esse desafio com excelência.

No cenário atual há muita competitividade e dinamismo e, assim, as empresas demandam uma capacitação cada vez maior dos profissionais, além de outras habilidades que fazem uma grande diferença na busca pelos resultados estabelecidos. Fatores como um currículo bem estruturado, networking e reputação são ímpares nesse processo.  Não é estranho, inclusive, que características sociais sejam questionadas em uma entrevista de emprego, valorizando aquele perfil que seja mais articulado com o corpo de trabalho. Portanto, surge a dúvida: quais são as habilidades devem ser desenvolvidas nos âmbitos pessoal e profissional para adquirir notoriedade nesse campo?

(Fonte: Pixabay)

O engenheiro que o mercado procura

Em primeiro lugar, é preciso conhecer o perfil que o mercado de trabalho brasileiro busca. Mas, atente-se: o contexto atual é muito distinto de algumas décadas atrás. Aquele funcionário especialista em apenas um setor, que gozava de um emprego estável por longos anos na mesma empresa, compondo uma hierarquia sólida e consistente e com uma carga horária extensa não é mais o objetivo de contratação das corporações. Agora, uma pessoa dinâmica e com uma formação diversificada está na mira.

Quais são as habilidades deste engenheiro?

Esse modelo contemporâneo exige um novo conjunto de características e, para se dar bem na hora de procurar uma vaga de emprego, é preciso ficar ligado. Sabemos que determinadas características são bem-vindas em qualquer profissão, dentro delas podemos citar:

  • Proatividade;
  • Uma boa comunicação;
  • Persistência;
  • Liderança;
  • Flexibilidade;
  • Capacidade de negociação;
  • Capacidade de gerenciar conflitos;
  • Saber trabalhar em equipe;
  • Manter-se atualizado.

Mas um engenheiro que visa ser reconhecido no mercado de trabalho e ter um bom salário precisa mais do que isso para alcançar seus objetivos. Em geral, um engenheiro deve dominar algumas habilidades para que não tenha um perfil desfalcado diante de seus concorrentes.

Primeiramente, é indispensável que o inglês seja seu segundo idioma (se puder adicionar o espanhol nessa lista, isso te ajudará muito). No âmbito da engenharia é comum que muitos protocolos, materiais de trabalho e também de estudo sejam escritos em inglês ou espanhol. Caso você já esteja familiarizado com essas línguas, terá uma facilidade maior em cumprir as tarefas no serviço e aperfeiçoar-se em cursos ou mesmo em casa.

(Fonte: Pixabay)

Ademais, é preciso ter conhecimentos prévios de informática, além de dominar sistemas como 5S e MRP (“Manufacturing Resources Planning” ou em português, Planejamento de Recursos de Manufatura). Seguindo essa mesma linha, um bom engenheiro precisa saber programar — ou pelo menos ter noções básicas sobre o assunto, a não ser que se trate de engenharia da computação por exemplo. A carreira nesse campo, no geral, costuma estar ligada ao uso de softwares. Portanto, aqueles que já tem um pé na programação possuem um grande diferencial.

Estabelecer um networking também deve estar na sua lista de prioridades. Em suma, essa palavra se traduz na criação de redes de contatos. A partir de um bom networking, você consegue conhecer outros profissionais, criar parcerias para projetos e ter contato com novas oportunidades de trabalho. É possível estabelecer essa rede em cursos, seminários, palestras, congressos, etc.

Um engenheiro que se preze procura sempre inovar no seu meio de trabalho — o mais conhecido “pensar fora da caixa”. Ser inovador é se tornar um ponto fora da curva, já que as soluções tradicionais não são mais suficientes. Essa característica caminha de mãos dadas com a resiliência, afinal ambas são necessárias para adaptar-se diante de situações inesperadas. Tal característica, portanto, pode desenhar a linha que divide um engenheiro comum e um engenheiro de destaque.

(Fonte: Pixabay)

Além disso, é muito útil conhecer plataformas como a Seleção Engenharia. Essa plataforma conecta profissionais e empresas da área (funciona quase como um LinkedIn especializado). Dentro dela, é possível criar um currículo que ficará disponível para a análise dos empregadores. Assim, as suas chances de ser contratado por uma empresa reconhecida serão mais altas.

Por fim, podemos concluir que para se destacar no mercado de trabalho contemporâneo é necessário que o esforço e a especialização sejam seus fiéis aliados. O profissional que se preocupa desde o princípio em se aprimorar constantemente é aquele que está mais próximo do sucesso. Agora que você já sabe o caminho para se tornar um engenheiro de destaque, não perca tempo e comece a se preparar!