Os termos ética e moral se referem ao comportamento humano em sociedade e, nesse sentido, se completam. Porém não são sinônimos; as origens e os significados são distintos.

Analisados por grandes filósofos (Hegel, Sócrates, Aristóteles e outros), os conceitos foram estudados por Hobbes, por exemplo, como partes do totalizante "contrato social." Já para Kant, por outro lado, esse contrato não valeria mais que a liberdade individual de escolha cotidiana.

Etimologia e significado

(Fonte: Giphy)‌‌

A palavra originou-se do latim: mores, que significa costumes. Normas morais são regras básicas coletivas para as escolhas do indivíduo em seu cotidiano, a partir das quais é possível julgar uma ação.

A moral é um conjunto de regras específico que determina o que é certo e errado e assegura a boa convivência em uma sociedade. É a resposta à pergunta "como devemos viver?".

Ela varia de acordo com os diversos fatores que determinam uma comunidade, como localização geográfica, tempo histórico, religião e ideologia dominante, entre outros; portanto, há uma enorme pluralidade de códigos morais hoje e no passado.

Dentro de uma mesma comunidade, a moral é mutável ao longo do tempo, e as mudanças ocorrem por influência externa e interna, através de imposições governamentais ou demandas populares.

Comparando normas

  • No Brasil é crime estar nu em público. A nudez pública é informalmente restrita a locais isolados, como praias de nudismo, enquanto em determinadas comunidades indígenas brasileiras há o costume de usar vestimentas que não são feitas para esconder essas partes do corpo — que ficam expostas, em cerimônias e atividades coletivas.
  • Em alguns países, as leis para casamentos são bem diferentes das brasileiras, como na Arábia Saudita, onde são permitidos casamentos poligâmicos e o governo tem controle parcial do casamento de homens sauditas com estrangeiras.
  • A escravidão era legal no Brasil até o fim do século XIX. Hoje, é inadmissível.

Etimologia e significado

(Fonte: Giphy)‌‌

A palavra originou-se do grego, onde tem duas grafias: éthos, que significa modo de ser; e êthos, traduzida como habitação do ser.

A ética é o conjunto de valores que compõem o modo particular de ser do indivíduo, é a reflexão à respeito da moral vigente e das interações humanas de modo geral. A resposta à pergunta "por que devemos viver de determinada forma?".

Racionalizando as normas sociais, os valores éticos são estruturantes ou desestruturantes da moral e comumente chamados de "princípios", um código de conduta pessoal.

Quando há uma nova tendência ética na opinião pública, ela acontece em nível individual e pode ocasionar uma mudança na moral vigente. Algo pode ser moralmente errado em uma comunidade, mas ser considerado eticamente bom por algumas pessoas nesse mesmo lugar, e vice-versa.

Comparando valores

pedestrian people road street child lane infrastructure photograph snapshot zebra crossing pedestrian crossing road surface
(Fonte: PxHere)
  • Uma pessoa mente ou omite algo de um amigo, pelo suposto bem desse amigo, segundo o julgamento de quem mente ou omite. Mesmo que sejam atitudes "erradas" de acordo com a moral, existem situações em que uma mentira ou uma omissão pode ser eticamente justificável.
  • Quando um profissional autônomo decide cobrar de um cliente de baixa renda um preço abaixo da média por seu serviço, está fazendo uma escolha ética. A moral prevê a fixação de um preço para um serviço específico, de acordo com a realidade atual do mercado, mas os profissionais autônomos podem determinar preços diferentes para cada serviço fornecido, individualmente.

Resumindo

  • A moral prevê certo e errado; a ética prevê bem e mal.
  • A moral é uma conduta específica e normativa; valores éticos são princípios, frutos de reflexão sobre ações e normas de conduta.
  • Norma é cultural e temporal; valor é universal e atemporal.
  • A norma é a conduta de um determinado valor; o valor justifica a existência de uma norma.