Por meio do olhar em sala de aula, é possível descobrir se um aluno está triste ou cansado demais, doente, nervoso ou se há algum comportamento diferente do usual. Também há a possibilidade de perceber se a criança está penteada, asseada, com o uniforme limpo e com materiais em ordem.

Em outros espaços do ambiente escolar, além da sala de aula, também é função do professor perceber quem lidera as brincadeiras ou se há algum aluno que esteja sendo colocado de lado.

O professor pode verificar, também, quais são as preferências das crianças. Até mesmo na hora do lanche, o profissional pode notar quem está se alimentando bem, quem come tudo ou deixa o alimento na lancheira, abre potes e embalagens sem precisar de ajuda.

Manter um olhar atento e individual a todos os alunos, entretanto, não é uma tarefa simples. Em uma turma, pode haver entre 20 e 30 crianças para serem observadas. Em uma mesma turma, as crianças têm características e necessidades diferentes: enquanto algumas são mais participativas e falantes, outras são mais quietas e reservadas.

Ainda, alguns alunos preferem realizar algumas atividades sem auxílio, enquanto outras gostam que o professor o acompanhe no desenvolvimento das lições. A seguir, trazemos algumas sugestões que podem auxiliar o professor estar atento a seus alunos.

1. Divisão em grupos

Dedicar o seu olhar a um grupo menor, por dia da semana, é uma boa maneira de contemplar toda a turma. (Fonte: Shutterstock)
Dedicar o seu olhar a um grupo menor, por dia da semana, é uma boa maneira de contemplar toda a turma. (Fonte: Shutterstock)

Uma sugestão é dividir os alunos em cinco grupos, um para cada dia da semana. A criação dos grupos não quer dizer que o professor vai dar atenção somente a eles naquele dia, mas significa que ele vai “olhar” com mais atenção para eles.

Dessa forma, o profissional vai observar as atitudes, os pertences, os lanches e as expressões deles, verificar se está tudo bem. Depois, é recomendado que o professor anote essas informações. Esse registro é fundamental para que o educador apure seu olhar.

2. Tabela de observações

Uma tabela de observação pode ser uma ferramenta muito útil para mostrar se determinados comportamentos ou atitudes da criança estão sendo recorrentes.

Nessa tabela, deverão ser observados em cada criança os aspectos físicos (uniforme, asseio, pertences e lanche), bem como os emocionais (expressão, postura, participação e cooperação).

Crie símbolos que facilitem suas anotações. Alguns itens podem ter gradação 1-3, 1-5, ou apenas sim ou não, conforme o professor achar necessário. Após 4 semanas, faça um comparativo por aluno para observar com mais clareza qual é a área em que cada um mais precisa de ajuda para se desenvolver.

Por meio desse comparativo, é possível notar se os alunos apresentaram mudança de comportamento após a segunda semana de aula, tanto na expressão quanto na postura em classe. A partir das semanas seguintes, o professor poderá conferir se o comportamento foi um fato isolado ou se perdura.

Caso seja constatada uma recorrência de comportamentos que possa interferir na aprendizagem em situações pontuais, o professor, com o apoio da equipe técnica do colégio, pode e deve convocar os pais para uma reunião para que conversem a respeito do assunto e decidam as medidas a serem adotadas no sentido de solucionar quaisquer problemas.

Fonte: SME na Prática

Gostou deste conteúdo? Conheça o Sistema Mackenzie de Ensino.