As brincadeiras fazem parte da natureza infantil e ajudam as crianças a entender o mundo e a experimentá-lo por meio dos sentidos. Tanto o brincar livre quanto os jogos com regras são importantes, pois estimulam os desenvolvimentos físico, emocional e intelectual da meninada, além de serem boas oportunidades para estreitar laços de amizade e companheirismo.

Nos jogos livres, os conhecidos “jogos de faz de conta”, a criança inventa a brincadeira, o cenário, os objetos e o enredo. Com elas, os pequenos aprendem a socializar, a desempenhar diferentes papéis e a expressar as suas emoções, além de aprimorar a imaginação.

No entanto, as brincadeiras com regras, por sua vez, também são importantes para ensinar as crianças sobre limites, valores, cooperação e convivência.

Jogos na sala de aula

São inúmeras as possibilidades de jogos e brincadeiras em sala de aula. (Fonte: Shuttrerstock)
São inúmeras as possibilidades de jogos e brincadeiras em sala de aula. (Fonte: Shuttrerstock)

Na escola, há espaço para muitos tipos de brincadeira. Organizar e aplicar diferentes dinâmicas para que esses jogos aconteçam, no entanto, é importante paraincentivar a participação de todos e observar como as crianças aprendem e reagem. Confira as sugestões de como desenvolver diferentes tipos de jogo com alunos da Educação Infantil.

Os jogos são ferramentas poderosas na aprendizagem das crianças. Mas para que as brincadeiras não se tornem um mero passatempo em sala de aula, é fundamental que os objetivos daquela atividade estejam sempre bem definidos pelo professor.

Jogos livres

O livre brincar em sala de aula é importante para estimular a imaginação das crianças. (Fonte: Shutterstock)
O livre brincar em sala de aula é importante para estimular a imaginação das crianças. (Fonte: Shutterstock)

Algumas crianças têm mais dificuldade para inventar brincadeiras, brincar sozinhas ou mesmo sem a presença de brinquedos. Por isso, dedicar um tempo para os jogos livres em sala de aula é importante para estimulá-las.

A partir da observação de como as crianças brincam, o professor pode intervir, sugerindo mudanças de comportamento, com perguntas como: “Por que você não brinca desta maneira também?”; “Vamos incluir este colega na brincadeira?”, entre outras.

Aproveite as orientações nos Livros Didáticos, no material de competência auditiva e no Livro do Professor para relacionar as brincadeiras e jogos aos temas desenvolvidos e aos conteúdos trabalhados.

Jogos com regras

As regras dos jogos devem ser explicadas para toda a turma antes de a atividade começar. (Fonte: Shutterstock)
As regras dos jogos devem ser explicadas para toda a turma antes de a atividade começar. (Fonte: Shutterstock)

Quando as brincadeiras envolvem regras, é importante  que as crianças conheçam e entendam as normas de cada atividade para poderem participar. Esses jogos podem ser individuais, em duplas, em grupos ou envolvendo a turma toda.

No momento de ensinar o jogo, é interessante que todos os alunos estejam atentos. Assim que todos compreenderem bem as regras, o jogo poderá ser iniciadoo.

Em grupos

Crianças ao redor do jogo de tabuleiro com orientação de mulher
Os jogos em grupos pequenos costumam ser os mais interessantes para as crianças. (Fonte: Shutterstock)

Os jogos em grupos pequenos costumam ser mais divertidos, pois a criança não precisa esperar muito tempo para chegar sua vez de jogar, diferentemente do que acontece com os jogos que envolvem toda a classe. As crianças também têm a oportunidade de participar mais vezes da brincadeira.

Os grupos pequenos devem ser compostos por três, quatro ou, no máximo, cinco jogadores, de acordo com o número de alunos da classe e do tipo de jogo.

Ao propor o jogo em grupos pequenos, o professor deve passar em todos os grupos para orientar, verificar se as regras estão sendo cumpridas, incentivar as crianças e observar seu comportamento.

Em duplas

Crianças brincando com jogos em dupla
Nos jogos em dupla, é importante dar a oportunidade para todos vencerem. (Fonte: Shutterstock)

Jogos em duplas costumam ser mais competitivos, pois geralmente há um “vencedor” e um “perdedor”. Procure, entretanto, formar duplas mais homogêneas e trocá-las constantemente, para que todos tenham a mesma oportunidade de vencer.

Para as turmas mais novas da Educação Infantil, evite propor campeonatos. Para as crianças mais novas, a atividade deve ser considerada uma brincadeira e não uma competição.

Individuais

Jogos educativos individuais para crianças
Os jogos individuais são bastante desafiadores para as crianças da Educação Infantil. (Fonte: Shutterstock)

Nos jogos individuais, a criança é desafiada a superar seus próprios limites, seja com relação à pontuação atingida ou ao tempo que tem para cumprir uma série de tarefas.

Desafios como ligue os pontos, caça-palavras, palavras-cruzadas, quebra-cabeças, entre outros jogos, estimulam o raciocínio e a lógica, bem como desenvolvem diversas habilidades, como psicomotricidade, concentração, atenção, superação, paciência e persistência.

Fonte: Sistemas de Ensino Mackenzie na Prática

Gostou deste conteúdo? Conheça o Sistema Mackenzie de Ensino.