Seja na prova de língua portuguesa ou na hora de escrever a redação, ter conhecimento da literatura brasileira é essencial para quem vai prestar vestibular. Muitas universidades chegam a oferecer listas com livros que devem ser lidos para a realização da prova, mas testes como o Enem e o vestibular de outras universidades acabam deixando o tema em aberto para estimular a leitura.

(Fonte: Giphy)

Devido à importância dessa bagagem literária, separamos uma lista com as principais obras brasileiras que tendem a aparecer nos vestibulares e merecem a atenção dos estudantes. Com isso em mente, separe um tempinho da sua agenda de estudos para as obras,  prepare o Kindle e comece a leitura!

1 - O Cortiço

Obra de Aluísio Azevedo, “O Cortiço” é um livro de 1890 e foi um dos expoentes do movimento naturalista em terras brasileiras. A história é contada em terceira pessoa por um narrador onisciente e relata a vida cotidiana das pessoas em um cortiço carioca. Apesar de a trama ser fictícia, o trabalho do autor se destaca pela crueza ao relatar os problemas sociais enfrentados pelos moradores da periferia do Rio de Janeiro na época. Uma versão digital do livro está disponível no acervo do site da Fundação Biblioteca Nacional e, para quem já leu, também é possível encontrar releituras mais atuais, incluindo versões da história em quadrinhos.

(Fonte: O Cortiço/Divulgação)

2 - Dom Casmurro

Lar de frases célebres como "olhos de cigana oblíqua e dissimulada", “Dom Casmurro” é um dos livros da trilogia de Machado de Assis que virou referência no movimento artístico do Realismo, junto com “Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “Quincas Borba”.

Publicado em 1900, o livro tem a história narrada pelo personagem Bento Santiago, que conta sobre a sua vida e sua relação cheia de amor e ciúmes com Capitu. Além de ser uma das principais obras de Machado de Assis e também do Realismo, “Dom Casmurro” se tornou uma das mais importantes peças da cultura brasileira, ganhando adaptações para o cinema e ficando presente no imaginário do país até hoje.

(Fonte: Dom Casmurro/Divulgação)

3 - Memórias Póstumas de Brás Cubas

O principal expoente do Realismo brasileiro, a obra foi publicada originalmente em folhetins e merece atenção por sua originalidade. Assim como em Dom Casmurro, a narrativa é contada em primeira pessoa, mas o protagonista da vez é o defunto Brás Cubas, que trata da vida e da morte em suas memórias póstumas.

Além disso, a obra acaba trazendo uma abordagem mais irônica e pessimista da realidade brasileira da época, principalmente da capital Rio de Janeiro, abordando problemas importantes como a escravidão e a estratificação social.

(Fonte: Memórias Póstumas de Brás Cubas/Divulgação)



4 - Iracema


O livro de José de Alencar é uma das principais obras da primeira fase do Romantismo brasileiro, conhecido como indianista. A narrativa segue os padrões do movimento e traz a história da protagonista Iracema e seu amor proibido por Martim, um português. Nessa mesma pegada, outra obra de Alencar que costuma aparecer nas provas é “O Guarani”, que acompanha as aventuras do índio Peri em uma história que se passa no século XVII. Ambos os títulos são de suma importância porque trazem uma releitura detalhada e romantizada da época da colonização brasileira.

(Fonte: Iracema/Divulgação)


5 - Grande Sertão: Veredas

Parte do movimento modernista, a obra de Guimarães Rosa foi lançada em 1956 e é uma das mais importantes da cultura brasileira, em virtude de seu tom experimental. O autor emprega técnicas de linguagem originais para contar a vida do jagunço Riobaldo. Além de se destacar pelo estilo, o livro é referência por trazer uma narrativa ambientada no sertão brasileiro e dar um toque regional para a história, característica marcante da segunda fase do Modernismo do nosso país. Graças a isso, o trabalho de Rosa costuma aparecer em provas constantemente, desde em questões de interpretação até como leitura obrigatória ou texto de apoio para redações.

(Fonte: Grande Sertão Veredas/Divulgação)


6 - Capitães da Areia

Escrito por Jorge Amado, o livro de 1937 ganhou destaque por contar a história de um grupo de garotos da periferia de Salvador, os Capitães da Areia. A narrativa mistura inocência e violência, trazendo, pela primeira vez, um olhar empático sobre as crianças de rua da capital baiana. A obra é tão influente que chegou a ganhar uma adaptação para os cinemas em 2011, dirigida por Cecília Amado, neta do autor.

(Fonte: Capitães de Areia/Divulgação)


7 - Triste Fim de Policarpo Quaresma

Lançado em 1915 por Lima Barreto, o livro narra a história do nacionalista e revolucionário Policarpo Quaresma. Além de fazer uma construção aprofundada de seu protagonista, a obra fictícia retrata em detalhes o clima do Brasil na época do governo de Floriano Peixoto. Graças ao peso do conteúdo contado em linguagem leve e tom crítico, a obra se tornou referência no movimento pré-modernista brasileiro.

(Fonte: Triste fim de Policarpo Quaresma/Divulgação)

8 - A Hora da Estrela
Uma das principais obras de Clarice Lispector, “A Hora da Estrela” é um livro de 1977 que conta a história de Macabéa, uma mulher nordestina que deixa o interior para viver na cidade grande, mais especificamente no Rio de Janeiro. Apesar da temática bastante comum, a jornada da heroína é narrada com maestria misturando a realidade da época, a Ditadura Militar, com os delírios da sonhadora personagem. Além disso, a obra é considerada um marco na carreira da autora, trazendo seu estilo de escrita em seu ápice.

(Fonte: A hora da estrela/Divulgação)