Quer potencializar sua carreira? Comece uma pós-graduação no Mackenzie

Mesmo profissionais de sucesso podem colocar a carreira em risco por uma percepção negativa de si mesmos. Com a cobrança diária, a pessoa pode se achar incapaz de alcançar resultados ou até não se considerar merecedora de elogios, agindo de forma inconsciente e boicotando o próprio trabalho.

Autoimagem positiva é importante para alcançar o sucesso profissional (Fonte: Pexels)
Autoimagem positiva é importante para alcançar o sucesso profissional. (Fonte: Pexels)

A situação é tão comum que já até ganhou uma classificação específica na psicologia; conhecida como síndrome do impostor, a desordem consiste em não aceitar ou admitir as próprias conquistas. Um estudo da Universidade Dominicana da Califórnia apontou que a condição atinge cerca de 70% dos profissionais.

A ocorrência é mais comum em jovens em início de carreira e em profissões mais competitivas, como atletas, artistas e empresários. Em áreas em que o profissional é testado e avaliado a todo momento, como saúde e ensino, pessoas mais inseguras e que internalizam críticas e falhas também podem ser atingidas pelo problema.

1. Procure conselhos de pessoas de confiança

(Fonte: Giphy)

Quem boicota a própria carreira costuma não aceitar elogios por bom desempenho ao mesmo tempo que acolhe com facilidade críticas até de desconhecidos. Imaginando-se inferior, desenvolve uma necessidade de agradar a todos de forma contínua, o que pode provocar períodos de ansiedade e de estresse.

A dificuldade de obter uma auto imagem real pode ser superada com a ajuda de pessoas de confiança, capazes de evidenciar os feitos e as qualidades e apontar as falhas. A energia desperdiçada para conseguir a aprovação geral pode ser utilizada para dialogar com um grupo melhor, no qual o profissional pode se sentir protegido.

2. Foque suas conquistas

(Fonte: Tenor)

Uma das principais características da síndrome de impostor é o hábito de olhar sempre para o lado ruim das coisas, em especial quando se trata de si mesmo. Ao se comparar com os outros, sempre observa os feitos de terceiros em detrimento das próprias conquistas. Esse comportamento recorrente pode paralisar o profissional e destruir a sua capacidade laborativa.

Para escapar dessa situação é importante focar os objetivos. Uma estratégia eficiente é manter um registro das pequenas e das grandes conquistas; assim, sempre que surgir uma dificuldade ou incerteza sobre a própria capacidade, a pessoa pode se lembrar dos obstáculos que já superou e encontrar disposição para alcançar as metas.

3. Mantenha o ritmo de trabalho

(Fonte: Tenor)

Por acreditar que o fracasso é inevitável ou que a qualquer momento suas falhas podem ser expostas em público, o profissional pode, mesmo que inconscientemente, dedicar-se menos a uma atividade. Compromissos e tarefas podem ser adiados até o último momento, e tudo é feito para evitar possíveis avaliações ou críticas.

A procrastinação pode ser vencida com planejamento. Listar demandas e prioridades, com a divisão do trabalho em tarefas menores e etapas com prazos possíveis de cumprir, e alternar os períodos de produtividade com intervalos de descanso com duração pré-estabelecida para evitar perder o ritmo de trabalho podem ajudar.

4. Aprenda a lidar com o fracasso

(Fonte: Tenor)

Por mais bem-sucedidos que sejam, os profissionais fatalmente terão de encarar alguns momentos de fracasso. Erros, mesmo que indesejáveis, fazem parte do processo de evolução e crescimento. As falhas devem ser evitadas, mas não precisam ser temidas.

Aprender a lidar com a própria falha ajuda a seguir em frente, assimilar a experiência e sair da estagnação. Alguns, inclusive, utilizam a tática de celebrar o fracasso, pois transformar o sentimento de rejeição em uma percepção de realização da atividade ajuda a reunir a coragem necessária para enfrentar o próximo desafio.

5. Procure autoconhecimento

(Fonte: Tenor)

A realização de atividades que promovem o autoconhecimento, como meditação, ioga e exercícios físicos, alivia o estresse e a ansiedade. Investir em momentos de lazer e ações para melhorar a autoestima pode ser útil para evitar as alterações psicológicas que provocam a autossabotagem.

Conheça mais sobre os cursos de pós-graduação do Mackenzie