Continuar seus estudos depois da graduação pode diferenciá-lo de outros profissionais da área, pois quem estuda se atualiza e se especializa, duas características essenciais para ser um bom profissional nos dias de hoje. Se você é um engenheiro de produção, ter uma pós-graduação pode fazer toda a diferença na sua vida profissional.

A engenharia de produção é uma área vasta e abrangente que pode ser vista em diversos campos do mercado de trabalho atualmente. Com uma especialização, é possível redirecionar a carreira para chegar exatamente aonde deseja.

Confira abaixo três caminhos que você pode tomar depois da graduação em Engenharia de Produção e descubra qual tem mais a ver com os seus objetivos!

1. Mestrado

(Fonte: Freepik)

O mestrado é um tipo de pós-graduação stricto sensu, voltado para o estudo de determinado assunto na área explorada. O objetivo é dominar esse conteúdo específico por meio de pesquisas e testes e escrever uma dissertação. O curso de mestrado dura, em média, 2 anos, mas pode se estender dependendo da sua disposição para fazer as disciplinas e escrever o material.

Para quem é graduado em engenharia de produção, o mestrado é uma boa opção se o objetivo for se dedicar à pesquisa ou ao ensino. Isso porque as pós-graduações stricto sensu (mestrado e doutorado) são mais voltadas para a formação acadêmica e para a ciência, não para o mercado de trabalho.

Se você gosta de pesquisar, tem boas ideias e quer se dedicar a ampliar e divulgar o conhecimento na engenharia de produção, essa pode ser sua escolha.

2. Especialização

(Fonte: Freepik)

A especialização é um tipo de pós-graduação lato sensu, que explora menos campos específicos e mais áreas abrangentes, com o objetivo de capacitar profissionais que, em sua maioria, já estão no mercado de trabalho. O curso pode durar de 1 a 2 anos, e a carga horária mínima é de 360 horas. Como o foco são profissionais que já estão em atuação, as aulas costumam ser à noite ou nos fins de semana.

Como seus alunos estão em busca de mais conhecimento e atualização, os cursos dessa linha são conhecidos por conferir habilidades específicas. Se você cursou Engenharia de Produção e quer abrir uma empresa na área, por exemplo, pode fazer uma especialização em Administração de Empresas. Engenheiros de produção que trabalham como líderes de equipe podem investir em cursos como Gestão de Processos em Ambientes Corporativos e Gestão Estratégica de Pessoas, que podem ajudar o desenvolvimento em seu ramo no mercado.

O importante, na hora de escolher uma especialização, é manter os olhos bem abertos para as oportunidades no mercado. A engenharia de produção passa por muitos setores em uma empresa, desde a criação do produto até sua entrega, e todas essas áreas podem inspirar especializações.

Uma das especializações possíveis nessa área é a Gestão de Processos em Ambientes Corporativos, que permite que o engenheiro de produção modifique e implemente processos que melhorem a produtividade e os resultados finais dos projetos da equipe. Outra opção é a Gestão Estratégica de Pessoas, voltada para quem quer trabalhar com liderança nessa área e saber como gerir uma equipe de modo que todos se foquem nos objetivos da empresa, utilizando suas melhores qualidades e aprimorando seus pontos fracos.
Para quem quer aplicar uma perspectiva mais global na engenharia de produção, a especialização em Gestão de Negócios em Serviço ajuda a entender o mercado de maneira geral e a aplicar técnicas de gestão em todo tipo de empresa. Já uma especialização em Gestão de Logística e Cadeias de Valor é mais focada nas áreas práticas da engenharia de produção, cuidado da parte de armazenamento e distribuição.

A engenharia de produção é uma área vasta, e sem dúvidas existem especializações que têm a ver com os seus interesses. É importante notar que, ao contrário do mestrado, a especialização é focada em preparar o profissional para crescer no mercado de trabalho. Por isso, se esse é seu objetivo, ela é a melhor opção.

3. MBA

(Fonte: Freepik)

MBA (Master of Business Administration ou Mestre em Administração de Negócios) é uma formação lato sensu, assim como a especialização. Apesar do nome, no Brasil, não é considerado um mestrado, já que suas aulas são voltadas exclusivamente para a prática profissional.

Esse tipo de curso pode ser visto como uma metodologia para formar gerentes e executivos, já que seu foco é a administração de empresas, mas também de equipes e de projetos. Assim como a especialização, o MBA precisa ter pelo menos 360 horas, com padrão internacional de 500 horas.

A formação é mais voltada para a prática do que para a teoria, e muitas das disciplinas consistem em estudos de caso e debates mediados pelos professores. Assim como nos outros tipos de pós-graduação, é necessário apresentar um trabalho final para receber o certificado de conclusão do curso.

Um profissional graduado em Engenharia de Produção pode fazer MBA de acordo com a área em que está atuando no mercado. Estudos avançados podem fazer com que você cresça na empresa em que trabalha ou consiga um emprego melhor.

Com essas opções, é preciso ter cuidado para escolher aquela que tenha mais a ver com seu perfil e com suas ambições. Reflita sobre sua carreira e faça uma projeção para o futuro: onde você quer estar daqui a 5 ou 10 anos?

O mercado de trabalho tem espaço para todos os tipos profissionais, desde que eles sejam bem qualificados. Preste atenção nos caminhos a que cada uma dessas opções pode levar e tome uma decisão bem acertada.

Confira mais dicas para potencializar sua carreira!